Madonna mordendo parte da cama

Curta (e dance) ao som de 10 remixes que ousam superar as versões originais e fazem bonito nas pistas de dança

Por Claudio Dirani

Montamos – e dissecamos – uma irresistível playlist de clássicos repaginados por produtores sensacionais

Não fazemos questão de esconder. Sim, nós curtimos muito cair na pista, naquela baladinha retrô, sempre ao som de clássicos que marcaram época no pop em suas versões originais.

Outra verdade: é possível, sim, superar essas pérolas quando produtores de renome, principalmente mestres em dance, remixam os originais a ponto de levantar o sarrafo a um patamar a perder de vista.

Confissão. Montar uma seleção do gênero foi mais complicado do que passos de break de quarentões, mas o Music Non Stop não refugou. Confira a seguir alguns dos melhores remixes do passado, presente — e porque não — do futuro.

Uneventful Days – Beck (St. Vincent Remix)

“Acho que andava ouvindo muito Herbie Hancock dos anos 70 e WAR quando fiz o remix e me perguntei o quanto dessa pegada funk existia dentro de mim”, comentou a talentosa St. Vincent à Rolling Stone na época do lançamento de sua versão para a faixa.

“Uneventful Days” é uma das obras-primas do mais recente trabalho de estúdio do genial Beck, incluída no álbum Hyperspace, de 2019.

Antes de renderizar a música, entretanto, St. Vincent relembrou uma pequena modificação exigida por Beck para que o remix fosse concluído:

“Ele curtiu o que eu fiz, mas disse que deveria ter um andamento mais veloz, algo como 3 bpm extras. E ele estava certo. Fez toda a diferença no groove”, completou.

 

The Fly – U2 (The Lounge Fly Mix)

Lançada como single em novembro de 1991, “The Fly” é uma das músicas mais dançantes de Achtung Baby. Quando “The Fly (The Lounge Fly Mix)” chegou até os fãs como lado B do CD single, muito se questionou sobre qual versão seria a mais bacana.

Curiosidade. No The Lounge Fly Mix, a banda irlandesa incluiu trechos de letra diferentes em comparação à faixa escolhida para entrar no LP. Além disso, a parte instrumental é totalmente trip-hop.

Confira os versos extras:

It’s no secret that I left you, and still I don’t know why/ You say the sun is sometimes eclipsed by a moon/You know I’d come back baby, If you’d give me some room
They say a secret is something you tell one other person/What do you think.. child?

 

Alicia Keys – Girl On Fire (Inferno Remix) ft. Nicki Minaj

Incluído como lado B do single “Girl On Fire”, a versão Inferno inclui três versos escritos e gravados por Nicki Minaj no Chalice Recording Studios, em Los Angeles – o que transforma o remix, definitivamente, em uma parceria entre as estrelas pop.

Um desses trechos adicionais performados por Minaj a gente destaca aqui:

“Took me on the balcony, telling me to jump with her/ Yeah I’m in the ghost but I ain’t doing stunts with her/ I ain’t trying to be that, haters want to see that/ But I got ‘em aggy, cause I win the gold like Gabby”.

Squier, Bhasker e Remi foram os mestres encarregados da superprodução, originalmente lançada em 2012.

Say Say Say – Paul McCartney & Michael Jackson (2015 remix)

Paul e Jacko uniram suas habilidades no início dos anos 1980 para compor juntos. O resultado dessa então inusitada parceria entre os imperadores do pop mundial foram três músicas, sendo duas coautorias: “The Man” e “Say Say Say” – esta última, chegaria até o primeiro lugar da Billboard, onde permaneceu soberana durante seis semanas, a partir de dezembro de 1983.

Já a composição restante, “The Girl Is Mine” – outro enorme hit – contou com McCartney e Jackson dividindo os vocais em um single extraído do mega-álbum Thriller.

Sobre a versão remixada da faixa, originalmente gravada e lançada no LP Pipes Of Peace, o destaque fica para o troca-troca de versos.

Grande parte do que Paul canta em “Say Say Say (2015 remix) é interpretada por Jackson – e vice-versa. O trabalho dessa produção ficou por conta do estelar Mark ‘Spike’ Stent (Madonna, Beyoncee, Ed Sheeran, Depeche Mode, etc).

Let Somebody Go – Coldplay & Selena Gomez (Kygo Remix)

Toda balada tem sua calmaria e ela fica por conta de uma das faixas mais melódicas de Music Of The Spheres, o mais recente disco do Coldplay, lançado no final de 2021.
O trabalho de remixagem ficou por conta de Kyrre Gørvell-Dahll, o hábil norueguês mais conhecido como Kygo.

“A música do Coldplay sempre me influenciou como artista e pessoa. Fiz um remix não-oficial de “Midnight” em 2014 e subi a faixa no SoundCloud. Depois disso, sempre sonhei em colaborar com a banda. Eu adorei como o remix de ‘Let Somebody Go’ soou e ainda foi ótima essa parceria com Selena Gomez”, comentou o produtor.

 

Like A Prayer – Madonna (7’ Remix – Edit)

 

Como tornar ainda mais interessante um dos singles que impactou tremendamente a cultura pop no final dos anos 1980 – e além?

Escrita por Madge em parceria com o craque Patrick Leonard, a canção subiu ao topo das paradas em 21 países, com destaque para o Hot 100 da norte-americana Billboard, onde permaneceu por três semanas consecutivas.

Quando chegou o momento de editá-las para os singles de 7’ e 12’, coube aos mestres Shep Pettibone e Bill Bottrell dar à música uma roupagem diferente, sem que ela perdesse o DNA. Destaque para os sintetizadores e o coral gospel.

Day-In Day-Out – David Bowie (Extended Dance Remix)

 

Never Let Me Down não é nem de longe o mais amado trabalho do Camaleão, mas todo fã que se preze tem de explorar melhor esse renegado disco de 1987. Um dos motivos é a gema “Day-In Day-Out”, que aqui aparece em um formato remixado e mais longa.

Como curiosidade extra, a letra é uma crítica social, em que Bowie aponta o dedo para os péssimos tratos recebidos pelos sem-teto nos Estados Unidos.
Enquanto o single enviado para as rádios aparece mais curto, com 4’14’’, esta versão tem quase três minutos a mais, preparada especialmente para os clubes da época pelo mago Shep Pettibone (o mesmo de “Like a Prayer).

…What A Life! – Noel Gallagher (The Amorphous Androgynous Remix)

Antes de colocar na praça seu álbum de estreia, Noel Gallagher tinha em mente produzir suas primeiras canções inéditas longe do Oasis com remixagens exclusivas da dupla Brian Dougans e Garry Cobain, que atendem pelo pseudônimo Amorphous Androgynous.

No fim das contas, o ex-líder do Oasis optou por um trajeto mais tradicional, o que deixou Cobain deveras chateado: “Tinha uma certa arte (no disco). Nós quase o finalizamos. Então, acho que foi uma me**a ter abandonado, lamentou o produtor ao NME.

Apesar de todos os pesares, o Chief repensou seus planos e disponibilixou alguns trabalhos com o Amorphus. Um desses bebês é a excelente versão de …”What a Life!”, um dos singles mais dançantes da leva.

Imagine Dragons – Believer (Kaskade Remix)

Com seu pegajoso e marcante refrão, “Believer” é um dos melhores exemplos de que o Imagine Dragons rapidamente se tornou uma banda – digamos – state-of-the-art.

Top 10 em 15 países em 2017 – incluindo o Top 40 adulto da Billboard americana – “Believer” também fez sucesso como remix: uma cortesia de Ryan Gary Raddon, o DJ americano mais conhecido como Kaskade.

Lady Gaga – Poker Face (JAMES Extended Remix)

Se Lady Gaga chegou a ser classificada como sucessora da Rainha do Pop, um dos fatores foi o sucesso do single “Poker Face”, que elevou a cantora e atriz ao estágio de superstars, em moldes similares ao de Madonna.

Lançada como single em 2008, acompanhada pelo lado B Just Dance, a faixa extraída do disco The Fame faturou no ano seguinte o Grammy de Best Dance Recording após emplacar o primeiríssimo lugar na Billboard e nada menos que outros 28 países.

Aqui você confere um dos inúmeros remixes de “Poker Face”, que apareceu ainda nas encarnações Space Cowboy Remix, Dave Audé Club Remix, Jody den Broeder Club Remix, Robots to Mars Mix, RedOne Remix e Tommy Sparks & The Fury Remix.

 

 

 

 

Claudio Dirani

Claudio D.Dirani é jornalista com mais de 25 anos de palcos e autor de MASTERS: Paul McCartney em discos e canções e Na Rota da BR-U2.

× Curta Music Non Stop no Facebook