ney matogrosso

Dia Nacional do Livro. Dez artistas indicam o que estão lendo e o quanto estão curtindo. Hora de atualizar sua lista de desejos

Por Jota Wagner

Hoje é o Dia Nacional do Livro. Pedimos para 10 artistas fenomenais nos indicarem o que estão lendo neste momento. Bora atualizar nossa lista de desejos literários?

Aaaah, os livros… este pacotinho de folhas empilhadas, cheirosas, cuja coleção de palavras racionalmente organizadas nos transportam para os recônditos de nossa alma surrada! Para os amantes destes calhamaços (de papel ou de bytes, se você é dos e-books) hoje é um dia especial. Dia 28 de outubro comemoramos o Dia Nacional do Livro.  E os viciados em leitura sabem que a gente sempre está correndo atrás de indicações de boas obras para caçar nas lojas ou sebos.

Portanto, o que seria melhor do que receber as indicações diretamente dos artistas que tanto admiramos? Mais um serviço do coração do Music Non Stop para nossos leitores. Desfruta!

Perguntamos a XX artistas que gostamos: o que você está lendo neste momento e o que está achando da leitura?

Nelson D – Sìgìdì – Henrique André – Ed. Ananse

Nelson D, músico que você conheceu aqui no MNS, de ancestralidade indígena, tem no afrofuturismo um dos principais nortes da sua criação. O artista segue forte na sua pesquisa, mesmo nas horas de lazer. “Estou lendo Sìgìdì, uma história Afrotuturista do escritor Henrique André, lançado pela editora Ananse. Esta história é muito interessant, pois aborta temos afrotuturistas de uma forma não óbvia, e coma criação de um universo bem original”.

Sigidi

Capa do livro Sìgìdì – Editora Ananse

Tatá Aeroplano – Eis Antonin Artaud – Florence Mèredieu – Ed. Perspectiva

Não poderíamos esperar uma indicação menos cult do que a biografia de Antonion Artaud, enviada pelo nosso trovador psicodélico paulistano Tatá Aeroplano, que já colaborou aqui conosco com uma incrível indicação de filmes. Tatá de uma pausa nos trabalhos de seu novo disco para falar sobre a leitura: “A biografia é muito bem escrita e muito bem documentada, a edição que eu to lendo é da Perspectiva, tem mais de 1.000 páginas. É um mergulho profundo na vida e obra do genial “Artaud”, vale muito a pena a conexão”.

Antoine Marie Joseph Artaud foi um poeta, ator, escritor, dramaturgo, roteirista e diretor de teatro francês de aspirações anarquistas e ligado ao surrealismo.

 

Eis Antonin Artaud Livro

Eis Antonin Artaud – Ed. Perspectiva

 

Julico (The Baggios) – A Queda do Céu – Davi Kopenawa & Bruce Albert – Ed. Companhia das Letras

Julico, da fantástica The Baggios (sem contar que o álbum solo do homem também é de cair o queixo) nos mandou a letra (belo trocadilho) sobre sua leitura sobre os povos Yanonami:

“um dos livros que eu tenho lido recentemente é a queda do céu, um livro que conta a história da tribo Yanomami. Já era um cultura que chamou muita atenção quando fui na exposição da Claudia Andujar. Fiquei encanto com os rituais, a cultura, os atritos com os brancos para defender suas terras e tal.  Me deparei com este livro e fiquei muito encantado com a profundidade com que o xamã Davi Kopenawa narra toda a historia dele, dos ancestrais, do simbolismo por cada propriedade que é vista dentro de uma tribo, um penugem que seja… o lance de inalar o pó do rapé, que vem de uma casca que faz parte do ritual deles para ter uma conexão com o lado espiritual. É um livro longo, mais de 800 páginas, estou ficando muito encantado com este universo. Me pego muito neste ambiente da mata. Nesta viência narrada por eles com simbolismos retratados com curiosidades e contos.  Tem muita riqueza. Foi um grande achado pra mim. Espero que as pessoas valorizem mais a cultura indígena. Isso porque estou falando de uma tribo. Imagine a quantidade de tribos diferentes que existem no país, com diferentes linguagens e costumes. Tem sido uma leitura reveladora e que me trouxe ainda mais admiração e respeito pelo povo indígena.

A queda do Céu

A Queda no Céu – Companhia das Letras

Marco Bosco – Incidente em Antares – Erico Verissimo – Editora Cia. das Letras

Marco Bosco, o grande percussionista brasileiro que já dividiu o palco com Nina Simone e é o responsável pelo seminal disco Metal Madeira, tem se dedicado ao livro de Erico Verissimo quando dá uma pausa em suas batucadas. “Este livro foi lançado no começo dos anos 70, eu acho. Erico Verissimo viajou muito. Uma coisa bem anarquista e fantástica. Muito bons os caminhos de criação imaginária deste craque! A cidade de Antares, o incidente… um romance excepcional. Uma viagem mesmo!

Incidente em Antares - Erico Verissimo

Incidente em Antares – Companhia das Letras

 

Amanda Mussi – Fabulous: The Rise Of Beautiful Excentric – Madison Moore – Yale University Press

“O livro é uma reflexão sobre a importância da fabulosidade, no mundo queer, enquanto ferramenta de luta e resistência além da performance e estética. O autor também é DJ e tocou numa festa em NY onde sempre toco” conta Amanda Mussi, que arrasou semana passada com seu remix para o novo EP da Massa Records.

Fabulous

Fabulous – Yale University Press

 

Barbara Eugenia – Por isso essa voz tamanha – Jotabê Medeiros (Editora Todavia)

Barbara Eugenia é aficionada pela história das bandas e rockstars dos anos 60 e 70. “Assisto à documentários e chego a chorar”, me contou em uma conversa no retorno da festa Music Non Stop Sessions que rolou em Campinas no Galeria 1212. Na literatura, o hábito persiste, como vemos em sua indicação de hoje, a biografia de Roberto Carlos.

“Muito legal ter uma visão mais ampla e ao mesmo tempo detalhada do que foi a música popular nos anos de ouro, principalmente, a Jovem Guarda. O tamanho que aquilo teve e como os artistas foram entrando e saindo. Muita gente envolvida. Infelizmente o mercado sempre foi injusto e teve muita história feia junto, mas ainda assim, um retrato incrível daquela geração. E sim, uma bela homenagem a essa figura tão importante da nossa música (digam o que quiserem, é verdade). Jotabê é um grande biógrafo, vale ler todas!”. Recomendado!

Roberto Carlos - Por isso essa Voz Tamanha

Por Isso Essa Voz Tamanha – Editora Todavia

Camilo Rocha – Ney Matogrosso – A Biografia – Julio Maria (Ed. Cia da Letras)

O DJ referência e enciclopédia musical Camilo Rocha também anda colado nas biografias. Sua indicação é a história do ícone transgressor brasileiro Ney Matogrosso. “A história fascinante da vida de um dos maiores da nossa música, desde sua infância no “faroeste” da fronteira brasileira, passando pela transgressão pop dos Secos e Molhados e seu estabelecimento como estrela de primeira grandeza da MPB. Detalhado e cheio de bons causos”. Deu vontade de começar a ler agora!

ney matogrosso biografia

Ney Matogrosso: A Biografia – Editora Companhia das Letras

Laurent F – Paname Underground – Zarca (Editora Prix de Flore) & BoomBass – Hubert Blanc-Francard (Editora Léo Scheer)

O DJ Laurent F acaba de voltar de uma temporada na França e trouxe lá não um, mas dois livros que estão fazendo sua cabeça. Claro que a gente não vai negar uma dose extra de recomendações literárias né. E são da pesada! A primeira indicação é Paname Underground, do escritor Zarca , um artista que vive o que escreve e e para isso participa do lado mais obscuro do país, de onde tira inspiração para seus livros, no melhor estilo gonzo de Hunther Tompson. “O autor sintetiza sua vivência (o dia a dia) no underground mais sujo e subversivo de Paris. Uma história verdadeira e muito bem articulada no sentido de colocar todos da sociedade francesa a entender todas as formas de gírias e verbetes usados pelos imigrantes nesse submundo podre e fétido da capital da cultura”, conta Laurent.

Paname Underground

Paname Underground – Ed. Prix de Flore

O segundo petardo francês, que deve encantar aos leitores oldschool do MNS, é BoomBass, de Hubert Blanc-Francard: autobiografia do próprio escritor Hubert Blanc-Francard. Ele iniciou seus estudos nos anos 90 junto com todos os estudantes de artes daquele período…o que gerou uma amizade entre ele e os irmãos Cassius…. o livro conta, assim cono um bom doc. Toda a trajetória do duo até a triste partida de um deles…
No fim, é a história do Cassius contada por um amigo”. E por tabela, toda a trajetória do movimento chamado French Touch, que inclui Daft Punk.

BoomBass

BoomBass – Ed. Leo Scheer

Gabriel Soares (Atalhos) – Tomás Nevison – Javier Marías – Ed. Alfaguara

Gabriel Soares, da banda Atalhos, que você conheceu na coluna Noise Radar aqui do MNS, é livreiro além de música ou seja, aqui vai a dica de um expert no assunto.  “Nesse momento estou lendo “Tomás Nevinson“, do escritor espanhol Javier Marías – na minha opinião o melhor romancista vivo em atividade nos dias de hoje. O livro conta a história de um agente secreto que está involucrado numa trama com vários outros personagens de livros antigos dele. É impressionante quando um autor cria todo um universo ficcional e faz com que a gente confunda um pouco a realidade da fantasia. Lembro do dia que, em Madri, quando estava em turnê tocando bateria com a banda Quarto Negro, busquei como louco um de seus livros até que finalmente conseguisse encontrá-lo, antes de seguir viagem para o Primavera Sound em Barcelona”.

Tomas Nevinson - Livro

Tomas Nevinson – Ed. Alfaguara

Cris Braum – Os Nago e a Morte – Juana Elbein – Editora Vozes

Cris Braum, que acaba de lançar single novo, nos indica o raro livro Os Nago e a Morte: “ando lendo sobre Candomblé, relendo o Pierre Verger… mas minha indicação é o clássico Os Nago e a Morte, tese de doutorado de Juana Elbein. São estudos, símbolos e significados. Eu estou particularmente interessada porque entendo como parte de meu ritual de iniciação. Entender nossa ancestralidade!”, nos conta Cris.

 

Os Nago e a Morte

Os Nago e a Morte – Editora Vozes

Jota Wagner – Claudia Assef – Todo DJ Já Sambou – Editora Music Non Stop

Você não acharam que iríamos desperdiçar a oportunidade de indicar nosso livro no meio desta lista incrível que preparamos, não é? Pois mentindo não estou. O livro Todo DJ Já Sambou, da sócia e fundadora do Music Non Stop Claudia Assef (e que tem uma honrosa colaboração deste que voz escreve na edição mais recente, contando a história do The Great Brazilian Disaster), é um livro de referência sobre o assunto e fica aqui em cima da mesa. É usado todas as semanas para tirar dúvidas sobre a história do DJ no Brasil. É livro para se ter.

Todo DJ Ja Sambou

Todo DJ Já Sambou – Editora Music Non Stop

 

 

Jota Wagner

Jota Wagner escreve, discoteca e faz festas no Brasil e Europa desde o começo da década de 90. Atualmente é editor chefe do Music Non Stop e produtor cultural na Agência 55. Contribuiu, usando os ouvidos, os pés ou as mãos, com a aurora da música eletrônica brasileira.

× Curta Music Non Stop no Facebook