Discos Foto: Mick Haupt via Unsplash

Seleção gringa: os 10 melhores discos de 2023 para comprar em vinil

Jota Wagner
Por Jota Wagner

Amantes das bolachas já podem atualizar sua coleção com alguns dos melhores lançamentos do ano

Foi-se o tempo em que as coleções de discos de vinil estavam presas ao passado. Principalmente no mercado internacional (mas com reflexos cada vez maiores no Brasil, também), novos artistas, do mainstream ao independente, já planejam seus lançamentos em todos os formatos: digital, vinil, CD e, em alguns casos, até mesmo fita-cassete.

Como estamos chegando ao final do ano, já podemos ter uma base sólida de quais foram os melhores álbuns de 2023. O departamento de garimpos do Music Non Stop trabalhou duro para sugerir aos nossos leitores dez lançamentos espetaculares do ano, disponíveis em vinil.

ANOHNI/Anthony & The Johnsons – My Back Was A Bridge For You To Cross

Anohni

Imagem: Reprodução

ANOHNI, antes conhecida como Anthony, lançou em 2023 um de seus melhores álbuns, após uma compreensiva ressaca durante a transição do nome artístico. Em My Back Was A Bridge For You To Cross, mergulha ainda mais na soul music, mantendo o lirismo invencível e profundo de sua voz.

Sufjan Stevens – Javelin

sufjan stevens

Imagem: Reprodução

O indie folk suavinho de Sufjan Stevens ganha mais um episódio, elogiadíssimo pela crítica. Merecido. O décimo disco do cantor americano segue fiel à sua obra. Doce e melódica.

Victoria Monét – Jaguar II

Victoria Monet

Imagem: Reprodução

Atração principal do festival Afropunk 2023, na Bahia, Victoria Monét chegou com os dois pés na porta em seu álbum de estreia que, apesar de ser o primeiro, chama-se Jaguar II.

Monet se candidata ao time de divas pop que abusam da eletrônica e do olho clínico para a pista de dança, tendência nos últimos anos.

The Clientele – I Am Not There Anymore

The Clientele

Imagem: Reprodução

Sofisticado e divertido, The Clientele é uma das bandas imprescindíveis para uma boa coleção de discos. Afundando um pouco mais na experimentação, I Am Not There Anymore foi muito bem recebido em listas mundo afora.

Gina Birch – I Play My Bass Loud

Gina Birch

Imagem: Reprodução

Lenda suprema do punk feminista inglês, Gina formou a The Raincots em 1977 e retorna agora com seu primeiro álbum solo.

A primeira faixa do álbum, que dá nome à obra-prima, é absolutamente sensacional. Aos 67 anos, a artista segue visceral e ácida.

Blur – The Ballad Of Darren

Blur

Imagem: Reprodução

Damon Albarn, o artista dos mil projetos, resolveu mostrar ao mundo, em 2023, que não se esqueceu dos fãs do Blur, com The Balad Of Darren, nono (e ótimo — e último?) álbum da banda.

Lana Del Rey – Did You Know There’s a Tunnel Under Ocean Blvd

lana del rey

Imagem: Reprodução

Belo registro de Lana Del Rey, seu nono álbum é de “piano e mais um pouco”.  Suaves baladas encorpadas por seu instrumento predileto, para ouvir em estado total de relaxamento.

Depeche Mode – Memento Mori

depeche mode

Imagem: Reprodução

Décimo álbum de Depeche Mode, Memento Mori saiu em março acompanhado de uma senhora turnê mundial. Atual e dançante, o disco veio para mostrar quem é que ainda manda (e influência muita gente) no synth-pop.

Dinner Party – Enigmactic Society

dinner party

Imagem: Reprodução

Disco bom para atualizar sua definição de urban music. Enigmatic Society traz uma mistura cativante de R&B e hip-hop com jazz e música eletrônica.

Terceiro EP do supergrupo formado por Kamasi Washington, Robert Glasper, Terrace Martin, e 9th Wonder, Dinner Party é aquele artista para ficar pra sempre na sua prateleira.

Gorillaz – Cracker Island

Gorillaz

Imagem: Reprodução

O oitavo disco do Gorillaz veio recheadíssimo com participações de nomes como Thundercat, Beck, Bad Bunny e o brasileiro MC Bin Laden. O assunto tomou conta de todo o ano, já que o álbum foi separado em singles e lançado completamente, até virar esta bolacha linda, digna da sua coleção.

Melhores discos brasileiros 2023
Você também vai gostar de ler Os 10 melhores álbuns brasileiros de 2023
Jazz
Você também vai gostar de ler Os 12 melhores discos de jazz de 2023

Jota Wagner

Jota Wagner escreve, discoteca e faz festas no Brasil e Europa desde o começo da década de 90. Atualmente é repórter especial de cultura no Music Non Stop e produtor cultural na Agência 55. Contribuiu, usando os ouvidos, os pés ou as mãos, com a aurora da música eletrônica brasileira.

× Curta Music Non Stop no Facebook