Monique Dardenne traz novas de Miss Kittin & The Hacker, Ibeyi, Floating Points e outros lançamentos que você não ouve por aí.

Por Jota Wagner

Toda sexta, você já sabe; o Music Non Stop traz pra 10 lançamentos imperdíveis pra você ouvir, com as escavações sonoras aprofundadas de Monique Dardenne. Antes de mais nada, vamos dar a carteirada da Monique:

Mãe da Malu, Monique é formada em Direito, atua no mercado musical há mais de 15 anos como booker de artistas nacionais, internacionais, gestora de carreiras, pequisadora e curadora musical. Foi label manager da plataforma Skol Music, diretora da webtv inglesa Boiler Room no Brasil e curadora de música do Centro Cultural São Paulo.

É co-fundadora da plataforma de música Women’s Music Event, que inclui uma conferência anual e o WME Awards by MUSIC2, primeiro prêmio de música voltado às mulheres.

Quer saber o que saiu da pesquisa musical da Monique? Clica abaixo e aumenta o som!

De 8 a 15 de abril

1 – Ibibio Sound Machine – Electricity (álbum)

Liberada pela cantora com raízes nigerianas nascida em Londres Eno Williams, o Ibibio Sound Machine é um choque de elementos africanos e eletrônicos, inspirados igualmente pela era de ouro do funk, disco, post-punk e eletro da África Ocidental.

A banda encurta barreiras entre sons tradicionais e modernos e cada um de seus quatro álbuns tem sido geralmente mais eletrônico que o anterior. Embora o álbum encerre com um eufórico synth-pop tributo ao povo Baka, de Camarões, em Freedom, ele abre com uma pancada eletrônica , em Protection From Evil, anunciando com precisão o Ibibio Sound Machine no pop eletrônico e dançante.

2 – Ibeyi – Lavender and Red Roses feat. Jorja Smith (videoclipe)

Lavender and Red Roses, em colaboração com Jorja Smith, é o primeiro single que antecede o álbum  Spell 31 da dupla de irmãs afro-cubana Ibeyi, previsto para ser lançado dia 6 de maio. A história da parceria começou quando Jorja tinha acabado de entrar em estúdio para ouvir o álbum e imediatamente se apaixonou por Lavender and Red Roses. Foi aí que o espaço foi imediamante criado para que ela entrasse em colaboração na música. Não apenas isso, mas s dupla também trouxe Jorja para  o videoclipe rodado no no deserto.

3 – Floating Points –  Grammar (single)

Grammar é o segundo single solo do produtor e DJ inglês Sam Shepherd aka Floating Points desde a colaboração de Pharoah Sanders no ano passado com Promisses.

 

 

4 – Allysha Joy – Let it  (single)

Let It é primeiro single que antecede o álbum Torn: Tonic da cantora, performer, poeta e produtora autraliana Allysha Joy.

5 – mBthelight – How to dress Well in the Dark (álbum)

mBtheLight é o apelido da artista multidisciplinar nascida em Detroit Monica Blaire. mB sugere soul, house e hip hop em camadas, sobre uma base de sons improvisados e experimentação tecnologicamente infundidas.

6- Edoheart – Pandemonium (EP)

Edoheart é uma poeta, produtora e artista multimídia nigeriana criada na Detroit dos anos 90 e nas cenas experimentais globais de arte performática. Sua obra é descrita como “poesia afro sobre ritmos dublados”, “escultura e vanguarda ” e “afropunk”. Ela chama seu estilo de performance único de ‘teatro butoh-vocal’. Bora conhecer?

7 – Branko – OBG (álbum)

Certamente você já ouviu algum trabalho do DJ e produtor portugês Branko sem saber – seja pela música que faz com o incrível Buraka Som Sistema, pelo seu selo, o Enchufada, ou ainda pelo seu trabalho na criação, produção e apresentação do programa de viagens Club Atlas para a televisão nacional portuguesa. Ou ainda pelo trabalho de produção para MIA. Seja como for, agora é hora de ouvir o terceiro álbum desse inquieto DJ.

8 – KaySoul – What is Blackness (EP)

O EP What is Blackness tem tudo a ver com melodia e groove – duas coisas às quais o residente de Joanesburgo KaySoul está bem acostumado. A abertura despojada That Blackness dá um começo cheio de alma com uma melodia balançando suavemente sobre percussão mínima e flerte com o funk.

9- Miss Kittin e The Hacker – Third Album (álbum)

Quem viveu a pista de dança no início dos anos 2000 foi certamente impactado pela dupla francesa Miss Kittin e The Hacker, com hits como Frank Sinatra. A dupla ajudou a definir a abordagem de sintetizadores decadentes na virada do século. Ouvir o som característico da dupla de Grenoble 21 anos depois é uma espécie de volta no tempo, mas ao mesmo tempo com um bom toque de renovação.

 

10- Extra Soul Perception – New Tangents In Kampala, London and Nairobi (álbum)

Extra Soul Perception é uma plataforma de colaboração e música comunitária que começou a vida entre o Reino Unido, Quênia e Uganda, mas agora continua a crescer e conectar músicos independentes em todo o mundo.

O álbum começou a ser elaborado em 2019 e foi concluído remotamente durante a pandemia. Coletivamente, eles representam um amplo espectro de som, cada um com uma compreensão única do poder da soul music em suas muitas formas.

Jota Wagner

Jota Wagner escreve, discoteca e faz festas no Brasil e Europa desde o começo da década de 90. Atualmente é editor chefe do Music Non Stop e produtor cultural na Agência 55. Contribuiu, usando os ouvidos, os pés ou as mãos, com a aurora da música eletrônica brasileira.

× Curta Music Non Stop no Facebook