Testamos a Mubi, uma plataforma de streaming dedicada a agradar os cinéfilos. Conheça a opção underground ao Netflix, Amazon e Disney Plus

Avatar
Por Yasmine Evaristo

Em um planeta sem videolocadoras o cinéfilo sempre encontra um jeitinho de assistir filmes. São inúmeros os streamings hoje em dia, cada um deles voltado para um perfil de público e com conteúdo distinto. Com o fim de conhecer mais um canal para assistir filmes, testamos o Mubi um mês e deixamos para vocês cinco motivos para assinar o streaming.

MUBI logo

Cabe no bolso

O Mubi oferece um plano mensal no valor de R$ 27, 90 ou anual, R$ 16,90 ao mês. Com um catálogo diverso que varia entre clássicos e cult de todo o mundo, os estudantes de cinema e de outras áreas podem acessar por um bom valor títulos variados que não se encontram em streamings mais populares.

O valor mensal promocional oferecido para quem é estudante é de R$ 16,90. Assim um estudante de cinema tem acesso a títulos como Paris, Texas, de Win WendersO Joelho de Claire, de Éric Rohmer, da mesma forma que pode conhecer a produção contemporânea de países asiáticos como Japão, China e Índia.

Download e armazenamento

Bem como outras plataformas o aplicativo permite que os filmes sejam baixados e armazenados em seu aparelho, o que facilita o acesso para quem quer assistir algum filme entre um intervalo e outro em seu smartphone ou computador.

A plataforma possui vários curtas metragens em seu acervo, o tipo de filme ideal para um breve descanso após a hora do almoço ou entre aulas. Imaginem só que delícia poder conhecer mais da obra de Agnes Varda assistindo Saudações, Cubanos! documentário de 1964 no qual a diretora registrou sua visita a ilha para registrar as mudanças ocorridas no país após a Revolução Cubana.

Filmes importantes do cinema brasileiro

Mubi tem em seu acervo títulos contemporâneos do cinema nacional. Assim podemos conhecer diretores com produções realizadas nas últimas duas décadas como O Som Ao Redor de Kléber Mendonça Filho, O Processo, de Maria Augusta Ramos sobre os bastidores da nossa política na ultima década ou Corpo Elétrico, de Marcelo Caetano, romance LGBTQ+ sobre o primeiro amor de um casal gay.

Realizadores menos conhecidos fora do meio cinéfilo também tem suas obras no catálogo: Tavinho TeixeiraJosafá VelosoAna Vaz.

Títulos de todos os gêneros

A plataforma hospeda obras de gêneros diversos. Dessa forma conseguimos encontrar nela comédias clássicas como Charada, de Stanley Donen, com Audrey Hepburn Cary Grant no elenco. Mas também encontramos os títulos fantásticos e surreais do Alejandro JodorowskyFando e Lis ou  A Montanha Sagrada. Os eróticos italianos de Tinto Brass dividem espaço com os reflexivos e longos filmes do filipino Lav Diaz.

Para quem gosta de terror temos A Noite dos Mortos-Vivos de George Romero, ou Um Balde de Sangue, de Roger Corman. Por outro lado para quem busca por animações, O Fantástico Senhor Raposo ou Planeta Fantástico, respectivamente de Wes AndersonRené Laloux.

Volta ao mundo

Após tudo o que foi dito acima não sobra dúvidas de que uma assinatura Mubi é garantia de carimbar seu passaporte cinéfilo. Em um fim de semana garimpando o streaming foram descobertas obras de diretoras e diretores até então pouco conhecidos ou desconhecidos.

A trilogia Rourouni Kenshin, do japonês Keishi Ohtomo está disponível na íntegra, sobretudo indicados para quem acompanhava os mangas ou animes Samurai X. Ao passo que para quem quer mergulhar no cinema hindi o indicado é O Vagabundo, de Raj Kapoor. 

De nossa vizinhança podemos nos deliciar com Zama, da argentina Lucrecia Martel que tem o brasileiro Matheus Nachtergaele no elenco. Outra sugestão é Alba conto sobre amadurecimento de uma garota de onze anos, da equatoriana Ana Cristina Barragán.

Com uma curadoria minuciosa, “escolhida a dedo” como anuncia em sua página principal, a plataforma Mubi é uma aventura de descoberta do cinema mundial. Além dos filmes há um blog com informações sobre lançamentos e demais novidades do cinema. Visite a página aqui.

× Curta Music Non Stop no Facebook