untitled horror movie

Entrevistamos Nick Simon, diretor de Untitled Horror Movie, filme gravado pelos próprios atores em isolamento

Por Yasmine Evaristo

Entrevistamos Nick Simon, diretor de Untitled Horror Movie, um filme produzido durante a pandemia, com atores gravando a si mesmo de dentro de suas casas

Que tal ler esta matéria enquanto ouve a trilha sonora oficial do filme?

O isolamento social provocado pela pandemia do novo Coronavírus paralisou ou até mesmo adiou algumas produções cinematográficas. Entretanto sempre existem aquelas pessoas que ‘dão nó em pingo d’água’ e Nick Simon é uma delas com seu novo filme, Untitled Horror Movie.

O diretor de Filme de Terror Sem Título fez seu filme com a ajuda dos atores, gravando-o completamente por meio de plataformas de comunicação on-line. O longa que está no catálogo do Prime Video se encaixa no subgênero de filmes chamado ‘filmes de desktop’.

Filmes de Desktop

Os computer screen films ou desktop films são filmes que se passam na tela de um computador ou aparelho eletrônico. No ano passado, um dos sucessos da Netflix foi o filme Host – Cuidado Com Quem Chama no qual um espírito assassino mata um grupo de amigos que participaram de uma sessão medíunica pelo Zoom. Bem antes disso já tinham sido feito filmes com a mesma temática como Megan Is Missing The Den, mas no último ano produções semelhantes vêm surgindo. 

De maneira semelhante aos longas citados, Filme de Terror Sem Título acompanha pela tela dos computadores e dispositivos móveis amigos que estão sendo atacados por um espírito demoníaco que eles invocaram. Entretanto de maneira irreverente, pois é uma paródia. 

A experiência de filmar à distância

Conversamos com o diretor para saber um pouco mais dessa experiência. Sabemos que o isolamento provocado pela pandemia foi o fio condutor da criação do filme, mas surgiu a curiosidade de onde partiu a ideia de filmar no formato de “DIY coletivo”. Segundo Nick, a ideia original era de um roteiro de horror sobre uma invocação por pêndulo que partiu de Luke Baines, roteirista.

Ele conta que apenas o adaptou para algo próximo de “Alexandre Aja e Jeff Howard para Amblin” (a dupla Aja Howard está produzindo um filme de terror interativo). Porém ele aponta que não estava muto satisfeito, “amei escrevê-lo… mas achei que tínhamos de compreender como fazê-lo em tempos como este. Sabia que Luke tinha um monte de atores talentosos como amigos e alguns em comum. Sabia que podíamos juntar um elenco realmente bom”. 

Ainda sobre experimentar novas maneiras de fazer um filme ele conta: “Pensei que realmente poderíamos captar as imagens pelo Zoom. Mas conforme os atores incríveis que chamamos foram aceitando participar do projeto, decidimos que era melhor fazer algo mais elaborado”. Com atores dispostos a se envolver no projeto ele decidiu convidar Kevin Duggin, diretor de fotografia “que adoro”, diz. “Trabalho com ele há 15 anos, contei o que estávamos tentando fazer e ele trouxe algumas ideias”. 

As ideias de Kevin mudaram totalmente o pensamento inicial e transformou atores em co-diretores. Segundo Simon o diretor de fotograia sugeriu “enviar uns kits de filmagens para os atores. Assim, eles teriam de focar a iluminação e microfone e basicamente gravarem a si mesmos para o filme”. Surpreendentemente “O nível de qualidade foi aumentando graças ao talento do elenco, bem como a experiência que iam ganhando com o uso, além da vontade de todos de fazer o melhor”. 

O elenco como co-autor de ‘Filme de Terror Sem Título’

Aproveitando a abordagem do diretor sobre o elenco e equipe, aproveitamos para saber como eles receberam a proposta. Perguntamos também se houve dificuldade em convencer alguém de que não era uma ideia maluca. Simon nos contou que Luke e ele “realmente fomos atrás de atores que sabíamos que iriam gostar do desafio, pois sabíamos que o que exigiríamos deles seria realmente bastante não ortodoxo”. 

O diretor se mostrou satisfeito com seu time e os elogiou ressaltando que “É preciso ser um grande ator para se sentir seguro em dar conta do trabalho proposto”. e completou, “Todos foram incríveis. A imagens são maravilhosas e eles estão ótimos no filme”. 

Especificamente sobre o processo de gravação, ele nos contou um pouco sobre essa direção coletiva, sobre a troca de aprendizados e dificuldades encontradas. Para Nick “O lado bom de tentar algo novo é que não havia pressão. Pelo menos não no começo”. Mas a medida que as gravações foram acontecendo ele aponta surgiu a necessidade de ser mais pragmático, afinal “Quando nos demos conta do que estávamos tentando fazer, cada um filmando em um ambiente totalmente isolado, sentimos o desafio de escrever para esse tipo de situação”.

Entretanto o desafio foi combústivel para alcançar o objetivo, pois Nick Simon acredita que “a melhor arte é criada quando você tem restrições e é obrigado a lidar com eles. Escrever o roteiro era libertário, estávamos fazendo isso por contar própria, então decidimos ir além. Foi difícil e fácil ao mesmo tempo”. Afetuosamente ele enfatiza, “Este filme é um trabalho autêntico e apaixonado”. 

O que podemos esperar de ‘Filme de Terror Sem Título’? 

Por ser uma paródia surgiu a curiosidade de saber se veremos apenas sequências engraçadas ou se também seremos assustados. Nick diz que apenas queiram que “a audiencia se divertisse” e que o longa “foi feito para os fãs destes atores e fãs do gênero de terror” e completa, “depois de ter vivido toda esta loucura que aconteceu em 2020, nós realmente queríamos dar ao público diversão pura. 

Inspirações e influências

Encerrando nossa convera ouvimos do diretor quais suas inspirações para fazer ‘Filme de Terror’. Para ele “Wes Craven foi uma grande influência, pois o jeito que ele balanceia humor e horror em seus filmes é simplesmente brilhante”. Nick se importa muito com essa dualidade de sensações provocadas. Segundo ele “É o equilibrio perfeito entre ser engraçado e muito horripilante”. 
 
As influências não foram apenas para ele saber como guiar sua equipe, o diretor compartilhou essas orientações com os envolvidos. “Nós enviamos estas referências ao elenco, e pedimos para lidar com cuidado com a consciência do que tinham sobre o gênero e também sobre a indústria do cinema em geral. Sabemos que haveria comédia, então todos quisemos nos aprofundar um pouco em como trazer os elementos para dentro do roteiro”.
 
“Mas há várias outras influências no filme também” ressalta Simon “por exemplo o seriado Comunity. As brincadeiras e o timing dos personagens desta série é genial. Devo ao show o tom de comédia dado ao filme”. 
 
A última pergunta não poderia deixar de ser a mais clichê, quais era os  filmes de terror preferidos de Nick. Para ele “Esta é uma pergunta difícil.”, mas ele responde, “Acho que o meu filme de horror preferido de todos tempos é O Enigma de Outro Mundo (John Carpenter), mas eu também amo  A Hora do Pesadelo e Pânico (ambos de Wes Craven). E para quem achava uma pergunta difícil de responder a lista não para por aí “Halloween, O Iluminado, Uma Noite Alucinante 2, Alien também são favoritos”.
 
O filme pode ser assistido na Amazon Prime Vídeo.
 
 
 
 

Yasmine Evaristo

Artista visual, desenhista, graduanda em Letras - Tecnologias da Edição. Membro Abraccine. Pesquisadora de cinema, principalmente do gênero fantástico, bem como representação e representatividade de pessoas negras no cinema. Devota da santíssima trindade Tarkovski-Kubrick-Lynch.

× Curta Music Non Stop no Facebook