Raça Sound

Radar do Groove – 5 lançamentos para animar seu rolê e te fazer dançar pela casa

Por Maravilha

DJ Maravilha elaborou esta seleta lista de lançamentos com as novidades mais interessantes do groove brasileiro

Radar Music Non Stop, seu guia semanal de lançamentos.

ROÇA SOUND – EP Roça Sound com Elas

Faz um ano que o Brasil foi de fato atingido pela Covid-19, a sensação ainda é de desesperança, principalmente para quem trabalha com cultura. O grupo baiano Roça Sound, resolveu mudar os ânimos com o novo EP Roça Sound com Elas, que conta com as participações de Jéssica Caitano (PE), Keila Gentil (AM),Mis Ivy(SP) e Paula Sanffer(BA) para botar todo mundo para dançar em casa. Tudo em parceria com o selo feirense Banana Atômica.

Conhecidos pela mescla das culturas nordestinas e afro-americanas através de elementos do rap, ska e reggae, dentre outras influências de origem negra e periférica, o grupo usa o sound system na construção de suas músicas. Para este EP o Roça Sound se conectou com os sons de periferias pelo Brasil e se adaptou aos estilos das artistas convidadas. O Roça faz uma união entre os estados celebrando os ritmos de cada periferia escolhida.

O EP Roça Sound com Elas tem quatro faixas e foi gravado no Crossover Estúdio, tem produção musical de Nick Amaro e o DJ Lerry, mixagem e masterização por André T, arte da capa de Márcio Button (Afrocollagem) e colagem de Don Guto e produção de Peg’a Visão e sai pelo selo Banana Atômica.

O projeto tem o apoio cultural do Peg’a Visão e Banana Atômica e o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Ouça o EP aqui:  https://www.youtube.com/watch?v=uo7gzWo7Ccg&list=PL1Lq_F_yphX-szemlcP5Z4zIatzh3Y0QR

Uana – Mapa Astral

“Mapa Astral” marca o início da nova fase musical da atriz e compositora pernambucana UANA e tem cripe dirigido por Luis Christofoletti, com letras e produção calcadas no R&B e Pop norte-americano.

A música versa sobre o momento de finalização de um relacionamento, de saída de uma zona de conforto. “É quando você coloca na balança o que viveu, o que você tirou daquilo e vê se vai dar uma chance novamente ou não. No fim, põe a culpa de tudo no mapa astral”, brinca UANA. Filmado nas ruas do centro de São Paulo em parceria com o Coletivo ZeroErro de Christopher Mahin e Luis Christofoletti.

Produzida pelos músicos Barro, Marley no Beat e TomBC, “Mapa Astral” foi escrita por Uana e a roteirista Aida Polimeni, com lançamento pelo Selo Zelo e distribuição pela Alta Fonte. “UANA me procurou querendo mergulhar em uma nova sonoridade. Então, quando começamos a trabalhar, ela trouxe muitas referências do trap, R&B e hip hop brasileiro e internacional, e fomos tentando recriar trazendo para o universo poético dela, de uma mulher que escreve sobre o seu tempo, suas relações e enxergando a sonoridade como um lugar de força, de ativamento de potências”, conta Barro.

Confira:

Triz – “Sem Limite”

Cria da Pedreira, zona sul da cidade de São Paulo, artista faz um retrato de suas próprias vivências pela quebrada, refletindo – rima a rima – sobre rua, superação, conquistas e pertencimento. Triz Rutzats é um artista paulistano, nascido e criado no bairro periférico da Pedreira, zona sul da cidade de São Paulo. Com apenas 21 anos de idade, carrega em seus versos o contraste entre a suavidade do timbre de sua voz cantada e a força contestadora de suas rimas. Triz ficou conhecido após lançar em 2017 seu primeiro single, “Elevação Mental”, um rap que traz a causa LGBT como tema principal e mostra a realidade marginalizada de pessoas inseridas nesse meio. Suas canções misturam a juventude dos ritmos urbanos com a tradição da canção brasileira, e as influências vão de Sabotage a Cartola, de Bob Marley a Elis Regina. 
“Vale dizer que esse som representa meu retorno no rap, nas rimas, e é também um “esquenta” antes do disco que virá ainda esse ano. O disco vai ser bem diverso com boom bap, composições antigastraps atuais, dancehall, funk, enfim… Espero muito que o público goste. Estamos fazendo tudo com todo o cuidado e dedicação” – Comenta o artista. Confira Sem Limite, de Triz:

Killa Bi, Jamés Ventura e GoriBeatzz – Nunca é em vão

Killa Bi lançou recentemente, em parceria com Jamés Ventura e GoriBeatzz, o single Nunca é em vão. O som é um convite para as vivências de artistas independentes, e como a paixão pela arte os movimenta. Já com videoclipe, dirigido por Murilo Marroco, a faixa está disponível em todas as plataformas de streaming.

Por conta da carência de incentivos à cultura, artistas independentes enfrentam diversas dificuldades pela falta de apoio. E apesar deste cenário, muitos deles seguem pelo desejo de que seu trabalho chegue a mais pessoas. “Apesar das dificuldades em ser uma artista independente no Brasil, as pessoas e nós, sabemos que o trabalho não vai ser em vão, desde que chegue em alguém. A arte liberta, transforma e salva vários e várias de nós. Nunca é em vão se expressar através da arte. Acordar cedo e fazer seu corre, não é em vão, se for sincero e verdadeiro. Precisamos acreditar!”, afirma Killa Bi.

Depois de longos meses de pandemia, foram poucos os artistas que conseguiram se manter só na arte, sem patrocínio. Artistas independentes, na maioria das vezes, têm as apresentações como sua principal fonte de renda. Se manter firme e produzindo, não foi tarefa fácil durante o isolamento, mas é a arte que vem nos salvando durante esse momento tão complexo.
Puro creme do boombap somando grooves com visão, confira:

Sombra e Valério – Onde orbitamos

Do mesmo município (segundo maior de São Paulo) e da mesma geração, Sombra e Valério seguiram trajetórias musicais distintas. O primeiro, do Jardim Lenize, é o lendário MC e compositor do SNJ (Somos Nós a Justiça), um dos mais destacados grupos de rap do Estado de São Paulo. O segundo, compositor, cantor, multi-instrumentista e skatista, cria do Parque CECAP (sigla para Caixa Estadual de Casas para o Povo, conjunto de habitações inaugurado no fim dos anos 60), percorre o cenário da música alternativa e exploratória há cerca de 15 anos. Hoje em carreira solo, tal qual o rapper Sombra, Valério tem dois álbuns lançados (o mais recente é de 2020, Cratera) e vem organizando projetos culturais de valorização de instrumentos de origem africana.

Sombra se dedica ao terceiro disco, previsto para 2021, sucessor de Fantástico Mundo Popular (2013; editado em vinil em 2019), em que reúne convidados como Jorge Du Peixe e Rael.

Destino

Apesar da proximidade, Sombra e Valério se conheceram apenas em agosto de 2019, em um show encomendado pelo então recém-inaugurado Sesc Guarulhos para reunir expoentes da cena local – um projeto nomeado Baquirivu – Imersão e Confluência (Baquirivu é o rio que nasce em Arujá e deságua no Tietê). Os conterrâneos Kiko Dinucci (responsável pela direção musical) e Edgar também foram convocados.

O single “Onde orbitamos” está disponível em plataformas como Spotify, Deezer, Apple Music, YouTube e Bandcamp (aqui, com a opção de download). O artista visual cearense Haroldo Saboia assina a foto da capa. Na imagem, se vê a Serra do Talhado, localizada no povoado de Ventura, na cidade de Alcântaras (CE).

Maravilha

https://linktr.ee/maravilhadj_

Maravilha é uma artista-multimídia, musicóloga, DJ, compositora, produtora musical e arte-educadora carioca radicada em São Paulo. Aqui no portal escreve e reflete sobre arte, música brasileira e toda a sorte de grooves. É também fundadora da Tremor Produtora.

× Curta Music Non Stop no Facebook