Joy Division revisitado. Ouça os dois discos clássicos da banda de Ian Curtis inteiros em covers absurdos

Avatar
Por Laerte Castagna

Dentre todas as bandas do post punk, a pioneira Joy Division ocupa com folga o posto de mais cultuada pelos fãs. Motivos não faltam, a carreira meteórica, inovações em técnicas de estúdio, um poeta angustiado, suicídio. Mas o principal motivo são suas canções verdadeiramente maravilhosas.

Os dois álbuns da banda são obras-primas absolutas em que fica quase impossível destacar as melhores músicas. Também é missão inglória querer cobrir qualquer uma delas, mas é o que muita gente tem feito e felizmente com resultados bastante bons. Fizemos um playlist para cada álbum.

É espantoso ainda que além de todas as excelentes músicas incluídas nos dois discos, alguns de seus maiores sucessos como Transmission, Atmosphere, Dead Souls e o maior de todos, Love Will Tear Us Apart não pertencem a nenhum deles e foram lançadas apenas em singles ou coletâneas póstumas, caso de Ceremony que se tornaria hit posteriormente quando a banda se transforma em New Order.

Não é à toa que essas músicas sejam as preferidas para artistas fazerem covers e aonde aparecem alguns dos melhores momentos da brincadeira. Incluímos versões desses singles como bônus nos dois playlists.

Joy Division – Unknown Pleasures (1979)

Unknown Pleasures in Covers

Uma das pedras fundamentais do pós punk e santo gral dos góticos foi lançada em 1979. Com a produção inovadora de Martin Hannett, letras dilacerantes e estética singular, sua influência reverbera até hoje e extrapola os limites do rock. Talvez seja impossível melhorar um grau sequer qualquer coisa que a banda gravou ali, mas se deixarmos o radicalismo de lado podemos ter boas surpresas.

Os melhores momentos são por conta da boa banda de slowcore Bedhead fazendo Disorder, a diva Grace Jones em She’s Lost Control e The Killers cobrindo com eficiência a maravilhosa Shadowplay. Mas vale destacar a obscura banda The Perris e o punk rural dos Basholes. E não deixe de conferir a belíssima interpretação do duo Eden & Noelle para New Dawn Fades provando de uma vez por todas que o cello é o instrumento perfeito para inspirar a melancolia.

Grace Jones

As versões dos singles são sensacionais e tocadas aqui por artistas como Nine Inch Nails, Galaxie 500 e Pink Mountaintops.

É isso aí, apague as luzes e descubra os prazeres desconhecidos.

Ouça unknown pleasures on this cover aqui:

E pelo grande numero de (excelentes) versões para as canções avulsas do grupo foi necessário criar um playlist só para elas. A seleção começa lenta e soporífica com White Flag, Low, Codeine e Broken Social Scene. Vai esquentando com Hot Chip, Chromatics e Bella Lune. No final cai na dança com Tymon and The Transistors e TIGER BABY, finalizando com o peso de Mos Generator e o punk de Mary’s Kid. Devido ao altíssimo nível dos envolvidos é muito difícil destacar a melhor delas mas ficamos com Wussy em Ceremony.

Ouça joy division – singles in covers aqui:

× Curta Music Non Stop no Facebook