Primeiro grupo a lançar um disco de rap no Brasil, Região Abissal ganha documentário. Assista 1a parte aqui

Claudia Assef
Por Claudia Assef

No final dos anos 80, quando as primeiras baterias eletrônicas chegavam ao Brasil e deixavam a galera babando nas vitrines da rua Santa Ifigênia, em São Paulo, um grupo chamado Região Abissal escrevia seu nome em letras maiúsculas na história do hip hop nacional ao lançar o primeiro álbum de um grupo de rap no Brasil.

Regiao-abissal-anos-80

O ano era 1988, e o disco, chamado Hip Rap Hop, era algo totalmente novo no mercado – àquela altura, algumas coletâneas “splits” com vários grupos já tinham sido lançadas (como a famosa Hip Hop Cultura de Rua), mas ninguém tinha lançado um disco autoral sozinho ainda.

A história do Região Abissal, grupo formado no bairro do Bixiga, em São Paulo, ganha luz agora com o lançamento de um documentário dividido em dois capítulos, produzido pela produtora Noize com apoio da Red Bull. O primeiro capítulo você vê agora, com exclusividade, aqui no Music Non Stop. Solta o play.

Demais, né? Se você ficou a fim de saber mais sobre o grupo, nesta terça (26), às 20h, o primeiro episódio do doc que ganhou o nome de Hip Rap Hop (assim como o disco) será exibido hoje na Red Bull Station, seguido de um bate-papo com o DJ KL Jay, o piloto da nave Racionais MCs. Pra encerrar, vai rolar um show com os integrantes da formação original do Região Abissal, a primeira em 25 anos!

regiao-abissal-doc

Athaliba Man em cena do documentário Hip Rap Hop sobre a história do Região Abissal

Tudo isso faz parte da programação maneiríssima do projeto Pulso, que rola até dia 30 de abril da Red Bull Station. Pra mais informações sobre os eventos do Pulso é só clicar aqui. Indicamos fortemente o painel Synth Gênero, que rola na quarta (28), mediado por esta que vos escreve, com participações de Érica Alves, Leandra Lambert, Rafaela Andrade (bad$ista) e Bibiana Graeff.

CONHEÇA ÉRICA ALVES, A DIVA DOS SYNTHS QUE ESTÁ DANDO UM TAPA NA CARA DO MACHISMO

Formado pelo DJ Giba, MC Guzula, DJ Kri, Athaliba Man, MC B, Marcelo Maita e MC Adilsinho (in memorian), o grupo Região Abissal foi pioneiro ao produzir seus próprios beats e melodias, em vez de usar samples prontos, antecipando uma tendência que levaria décadas para pegar no Brasil. O Music Non Stop bateu um papo com o DJ Giba, sobre o histórico disco, o documentário e o fato de o grupo não ter tido o mesmo sucesso de Racionais, Thaíde, RZO etc.

Captura de Tela 2016-04-26 às 00.46.26

Music Non Stop – Que tipo de som vocês ouviam quando tiveram a ideia de comprar a bateria eletrônica e escrever as próprias letras pra criar um álbum?

DJ GibaGrandmaster Flash, Afrika Bambaataa, Soulsonic Force, 2 Live Crew, Kurtis Blow, One Way, GAP Band, entre outros.

Music Non Stop – Quem produziu vocês?

DJ Giba – A produção do Região sempre foi do próprio Região, do grupo. Na época, mais os DJs. Hoje o grupo participa mais.

Ouça o álbum Hip Rap Hop, do Região Abissal, na íntegra

Music Non Stop – O Hip Hop Cultura de Rua foi uma influência pra vocês?

DJ Giba – Não, até porque a gente já tinha nossas próprias influências musicais e estilo próprio.

Music Non Stop – Como vocês conheceram o rap pela primeira vez? Foi através de bailes como Chic Show e Kaskata’s?

DJ Giba – Nos bailes e ouvindo algumas fitas cassetes da época.

regiao-abissal-lp

Music Non Stop – Como vocês conseguiram que o álbum fosse lançado pela Continental?

DJ Giba – Através de um amigo músico, o Ricardo Lobo, que levou uma fita cassete na gravadora.

Music Non Stop – Os Racionais, por exemplo, só lançaram o primeiro disco dois anos depois de vocês. Por que você acha que grupos como eles e Thaíde conseguiram sucesso e vocês ficaram mais no conhecimento de poucos?

DJ Giba – Porque o grupo acabou, não deu seguimento aos trabalhos.

Music Non Stop – Depois do disco lançado, o que rolou, qual foi a repercussão?

DJ Giba  – Shows, rádio e todo o aparato de um grupo famoso.

Music Non Stop – Verdade o que dizem q foi você que emprestou sua bateria eletrônica pro KL Jay fazer Pânico na Zona Sul?

panico-na-zona-sul-leve

DJ Giba – Sim, o KL Jay era um grande amigo do Região e na época ele e o Edi Rock faziam show no Clube do Rap, junto com os b-boys (Mano Brown e Ice Blue), e a bateria eu sempre emprestava, não só pra ele, mas pra outros DJs que não tinham acesso à tecnologia na época. Já o Pânico na Zona Sul, gravado no Consciência Black, o sample foi indicado por mim e pelo DJ Kri, na época nós produzimos esse disco e tínhamos um banco de samples para os grupos, e o DJ Kri mostrou o do James Brown, Mind Power, e o Brown gostou e usou na música.

James Brown – Mind Power

Music Non Stop – No encarte, vocês mandam um agradecimento a Alpargatas pelos tênis Nike que usaram na foto. Isso de todos usarem uma marca foi um movimento precursor, vocês se inspiraram em algum grupo de fora?

DJ Giba – A gente tinha que ter uns tênis novos pra capa, né? E a Alpargatas, que era dona das marcas aqui no Brasil na época, emprestou os Nikes… mas se fosse outra marca, ia rolar também.

Regiao-abissal

Music Non Stop – Vocês esperam ser mais reconhecidos agora com este documentário?

DJ Giba – Acredito que muitos que não sabem quem foi o Região agora poderão saber e ver o grupo. Agora, reconhecimento já temos. Se vier mais, é bem-vindo.

KL Jay e Região Abissal no Pulso 2016

Terça, 26, a partir das 20h

Estreia da série Hip Rap Hop e papo com KL Jay

Show do Região Abissal

Local: Red Bull Station (Praça da Bandeira, 137, Centro)

Ingressos: Evento gratuito

× Curta Music Non Stop no Facebook