PETDuo, o casal mais querido do techno brazuca, faz 20 anos de carreira e comemora com o seu primeiro álbum, Metal Rave

music non stop
Por music non stop

TEXTO LAERTE CASTANHA JUNIOR

Ana Gelfei e David Merlino formam o PETDuo, duo/casal que vive há mais de dez anos na gringa (Berlim), onde construíram uma carreira sólida e bem-sucedida. Sua fama foi conquistada graças a muito barulho, peso, altos BPMs e sets destruidores, sempre para uma legião de fãs apaixonados espalhados pelos países por onde passam.

Apesar de nunca terem parado de se apresentar ou produzir apenas agora, ao completar 20 anos de carreira, eles lançam o primeiro álbum. Metal Rave é um desfile de hard techno com influências do metal pesado e da rave dos anos 90. O disco é nervoso, como se pode esperar do trabalho do casal, uma avalanche furiosa de hard techno muito bem produzido, usando riffs de guitarras com synths e sirenes dos tempos áureos das raves. É bem legal encontrar essas referências ao longo do disco.

As tracks têm nomes que têm tudo a ver com essa estética, como Altered States, Master of Raves, Nuclear Shower, além da faixa que dá título ao disco, Metal Rave. Tem também algumas divertidas, como Unicorn For Breakfeast ou a atualíssima Borrachada! Mas não se deixe enganar, o álbum é sério e radical, uma cacetada sob medida para quem gosta de uma boa bordoada na orelha. Metal Rave sai pelo lendário selo ZYX e está nas melhores lojas e sites do ramo!

Direto da Alemanha para o Music Non Stop, conversamos com os Pets. Bote Metal Rave pra tocar bem alto e parta para a entrevista.

METAL RAVE – PETDUO

Music Non Stop – Vocês estão há quantos anos em Berlim?

PETDuo – Deixamos o Brasil oficialmente em abril de 2006, mas já desde 2002 vínhamos pra cá para fazer turnês pela Europa.

Music Non Stop – Como foi a mudança e a adaptação? O tempo é frio mesmo, né? E o povo alemão?

PETDuo – A mudança foi radical, nova cultura, novo ambiente… e nova temperatura! Também de humor! Berlim é uma cidade que, durante os meses do inverno, e além desse tempo, hiberna. Então são praticamente cinco meses, de outubro até fevereiro, no qual o tempo é cinza e com muita neve, numa temperatura ideal para nos trancarmos no estúdio, hehe. Os alemães são muito corretos, um povo educado e muitos dos que moram em Berlim falam inglês. Como não falamos alemão fluentemente, ainda assim podemos nos comunicar muito bem por aqui.

Music Non Stop -Imagino que tiveram dificuldades, mas hoje parece que já falam e escrevem. Após 11 anos na gringa vocês já estão falando aquele português com sotaque?

PETDuo – Nós falamos muito misturado, pra falar a verdade. A Ana fala quatro idiomas, português, espanhol, inglês e (mais ou menos) alemão. Eu falo cinco, além de todas as línguas que ela fala, falo francês, porque meus pais são franceses e minha avó, que era professora e francesa, me ensinou, e muito bem, a falar esse maravilhoso idioma. Tanto que, quando eu falo alemão, me perguntam por que eu tenho sotaque francês, haha! Falamos uma certa mistura de todas as línguas que sabemos aqui em casa. E um pouquinho de pajubá, super presente na nossa vida até hoje, devido à nossas origens clubbers de São Paulo, hahaha!

Music Non Stop – Já sabemos que amam comida vegana, aí é um paraíso para quem gosta, né?

PETDuo – Sim! Amamos estar num dos maiores centros do veganismo mundial! Nos sentimos com muita sorte por isso. Aqui abriram os três primeiros supermercados veganos do mundo, e existem muitas opções veganas nos supermercados normais e mais de 100 restaurantes veganos/vegetarianos! E praticamente tem um novo restaurante abrindo a cada 15 dias. Sinal dos tempos. E alegria geral, pra nós e pros animais 😉

Music Non Stop – Como é um dia típico de vocês? Tipo, horários, tarefas domésticas, profissional…

PETDuo – Fora a rotina louca de festas e aeroportos nos finais de semana, durante a semana trabalhamos muito com seleção de músicas novas e velhas e treino nos decks e nas CDJ-s para os sets, o que normalmente fazemos bastante na segunda-feira mesmo. Temos um podcast semanal, o Hard Education, que vai ao ar toda quarta-feira às 21hs (GMT+1/UTC+2) e este ano completa dois anos de existência. E como apresentamos ele também em formato live no Facebook, rendemos um vídeo pra acompanhar o podcast. Então o audio do podcast tem que estar pronto já na terça-feira, pois na madrugada passamos rendendo o vídeo. Na quarta é dia de pôr ele no ar, mas antes produzimos músicas aqui no mini-estúdio (só um computador com uma placa compacta e dois sintetizadores e uma drum machine) que temos em casa. Na quinta levamos o que fizemos de rascunho no mini-estúdio para o nosso estúdio principal, que fica a 50 minutos de casa. Lá é aonde podemos produzir bem alto, pois é um edifício próprio pra isso e terminamos mixagem e masterização. E na sexta-feira recomeçamos a loucura do final de semana!

Music Non Stop – E para o lazer? O que gostam de fazer? Shows, arte, passeios?

PETDuo – 

Gostamos de passear pelos parque de Berlim, que não são poucos. Aqui tem uns parques com um paisagismo de cair o queixo! Além disso meditamos bastante e gostamos de assistir filmes, principalmente de ficção científica e terror. E gostamos muito de ler biografias e romances, que nos inspiram muito para fazermos música.

Music Non Stop – A cena hard já não é tão grande como antes, né? Mas ainda é forte?

PETDuo – Normalmente tocamos em festas para 400, 500 pessoas. Mas existem festas maiores, nas quais todos os interessados no movimento aparecem, como no club Fabrik em Madrid , no mítico club Florida 135, também na Espanha, aonde sempre tocamos para mais de 3.000 pessoas, e no Syndicate, na Alemanha, que é um festival indoor enorme, aonde nos apresentamos pra um público de 4.000 pessoas. É verdade que a cena hard diminuiu em relação a 10 anos atrás, mas continua saudável aqui na Europa.

Music Non Stop – Tivemos anos difíceis para o techno no Brasil, hoje vivemos um novo estouro do gênero aqui. E por aí, como foi? Como está a cena hoje ?

PETDuo – Nos anos 2000 notamos sim uma queda do techno. O que era muito popular era o minimal techno, era só isso que rolava nas festas e o que se conseguia comprar nas lojas especializadas. De uns quatro ou cinco anos pra cá isso mudou muito. O techno voltou forte, acelerou um pouco os BPMs, muitos produtores novos e excelentes apareceram e os DJs mais antigos e que continuaram fiéis aos estilo despontaram novamente com força total. O estilo se estabeleceu de uma maneira tão forte nos últimos anos que esse termo é usado até em festas que nada têm de techno, somente para uma maior promoção do evento. Mas quem conhece e gosta do estilo dificilmente é enganado dessa maneira (rs).

Music Non Stop – Voces criaram o Resistohr (projeto de techno da dupla) por uma necessidade de buscar “novos” caminhos e para ocupar outros espaços e atingir um público maior mesmo?

PETDuo – Sempre gostamos de comprar estilos variados de música, e o techno que vem sendo produzido de uns quatro anos pra cá voltou a ter lançamentos mais agressivos e extremos, do jeito que a gente gosta! Após termos adquirido um certo número de músicas novas nessa faixa de BPMs (125/136) resolvemos tocá-las pras pessoas. Mas sabíamos que, se usássemos o nome PETDuo, isso iria confundir o nosso público amante do hard techno. Então resolvemos criar um novo projeto, onde nos apresentaríamos “disfarçados”, usando óculos especiais que mostrariam uma nova identidade pro público. Agora vamos completar um ano com o projeto, temos nossas primeiras músicas originais que seguem esse estilo, em mais baixaBPM, e a aceitação, tanto dos sets quanto das produções, está bem bacana. O nome Resistohr vem da união de duas palavras, resist, que, em inglês, quer dizer resistência, e ohr, que, em alemão, quer dizer ouvido. Somadas, as duas palavras querem dizer que é a resistência da audição. Isso casa muito com nossa visão da música. Nunca fomos os artistas típicos que tocam o que está no top 100. Buscamos mostrar uma idéia sonora que se mostra muito mais que atitude musical, uma atitude contra o que é empurrado pela mídia, a trilha sonora para a vida de rebeldes.

Music Non Stop – Vocês levaram 20 anos para lançar um álbum apesar de estarem sempre na ativa. Por que não saiu antes?

PETDuo – Estávamos planejando lançar esse disco há um tempo. Tivemos alguns empecilhos, como por exemplo a mudança de local do estúdio, que nos atrasou um pouco em relação a isso. Depois estávamos um pouco indecisos quanto ao tema e nome do álbum, pois queríamos fazer algo que refletisse bem nossas personalidades e nossa visão em relação ao hard techno e que também contasse uma história com um começo, meio e fim. Acreditamos que nada acontece por acaso, pois foi durante este período no qual estávamos nos preparando para a produção do álbum que o mítico selo ZYX entrou em contato conosco, se mostrando muito interessado em fazer esse lançamento, e coincidiu também em lançar esse álbum justamente no ano em que celebramos 20 anos de carreira musical. Para nós, esse álbum é uma ótima maneira de mostrar nossa trajetória na música ao longo dos anos, como um fechamento de um ciclo e o início de outro.

Music Non Stop – Vocês sempre gostaram de sons extremos: metal, punk, EBM, industrial, além do techno e hard techno. Metal Rave vem para aglutinar essas influências, falem sobre o disco.

PETDuo – Sim, gostamos muito desses estilos musicais extremos que você citou, principalmente death metal, rave music e hard techno. Então tentamos unir os dois estilos no álbum, com influências de partes diferentes de rave music, como os synths e os breakbeats da época, junto com linhas de grave de baixos e riffs de guitarras, com a base rápida e energética do hard techno tecendo uma união entre todas as partes. Essa união nos mostrou novos e interessantes caminhos pra nossa música, ficamos bem felizes com o resultado final.

Music Non Stop – Como é o processo de produção, quem faz o quê?

PETDuo – Como falamos antes, aqui em casa temos um mini-estúdio para darmos os primeiros passos na criação. Mas a mixagem e a masterização, além de partes finais da produção, fazemos no nosso estúdio profissional, que fica fora de casa, num edifício tratado para isso. É um lugar bem bacana, aonde podemos fazer barulho 24 horas por dia! Lá está o grosso dos nossos equipamentos. Eu (David) faço a engenharia no estúdio, mas dessa vez convidamos o excelente produtor e engenheiro Mario Malke, também brasileiro, radicado na Espanha, em Barcelona, para fazer a masterização final do álbum. Foi uma ótima experiência pois, além de conseguirmos passar mais tempo na criação/produção do material, ainda ganhamos um terceiro par de ouvidos para participar e opinar sobre como estava soando o álbum, o que nos levou a esmiuçar certos aspectos da mixagem e chegarmos numa qualidade ímpar juntos. Fora que o Malke, além de tocar hard techno, também adora heavy metal e death metal, o que foi perfeito devido ao conceito do álbum.

Music Non Stop – Que equipamentos usam para produzir?

PETDuo (com o amigo Alex) no estúdio em Berlim: tratamento acústico e instrumentos que os deixam criar com criatividade

PETDuo – 
Sintetizadores temos o Mopho, do Dave Smith, o Ultranova, da Novation, um Microkorg da Korg, um Minitaur da Moog (excelente para baixo!). Vários pedais da Boss, Moog, Roland. Alguns processadores de efeito da Korg, Pioneer, Otto. Estamos muito contentes também porque há três meses somos patrocinados pela Novation e eles estão nos dando equipamentos para fazermos uns test-drives. Nos mandaram o novo Circuit, que é um sintetizador e drum machine super compacto, ideal pra levarmos nas festas. Nos próximos dias vão nos enviar o novíssimo Circuit Mono Station, que é uma máquina parecida com o Circuit original, mas com arquitetura analógica para o sintetizador e a distorção. Mal vemos a hora de colocarmos as mãos nessa belezinha!
 E, no final, a peça mais importante do nosso estúdio: o computador Mac e os monitores Yamaha que, junto do excelente tratamento acústico que fizemos ali, nos deixam ouvir o som como ele realmente é. Muitos painéis de espuma e “bass traps” e “bass absorbers” nos ajudam a controlar a frequências sonoras.

Normalmente, quando não se têm a possibilidade de mixar e masterizar num estúdio profissional, o artista acaba fazendo várias versões com diferentes mixages/masterizações, para poder testar em outros sistemas de som pra poder chegar num resultado satisfatório, o que consome muito tempo. Com nosso estúdio conseguimos ser mais dinâmicos e criativos, estamos superfelizes com ele!!

Music Non Stop – E para tocar?

PETDuo – 
Gostamos de tocar com 6 CDJs Pioneer 2000Nexus2 e 2 mixers DJM900 Nexus2 e efeitos da RMX1000, também da Pioneer. Às vezes usamos o Kaoss Pad 3 da Korg, tem uns efeitos bastante únicos naquela maquinha. 
E lógico que continuamos gostando das Technics para tocarmos nossos vinis, mas não temos encontrado muitos em bom estado nos clubes, então só usamos quando percebemos que estão em perfeitas condições de uso. Fica muito horrível se uma das músicas sai do beat quando você tem tantas tocando praticamente ao mesmo tempo!

Music Non Stop – Quais os lugares preferidos para tocar?

PETDuo – São tantos. Amamos tocar na Espanha, Alemanha, Inglaterra, Itália, Holanda, França, Portugal, Eslôvenia, Polônia, República Tcheca, Áustria, Japão, Colômbia, Venezuela, Suíça, Ucrânia, Malta, Hungria. Em todos estes países fomos sempre muito bem recebidos, e o público sempre nos surpreende com muita energia! Desses países, podemos destacar os clubes Florida 135 e Fabrik, na Espanha, Corvin, na Hungria, The Qube, na Inglaterra. Os festivais Awakenings, da Holanda, MayDay da Polônia e Alemanha e ECO Festival da Eslovênia, Nature One e Ruhr-In-Love na Alemanha, são alguns dos lugares que são nossos preferidos pra tocar.

Music Non Stop – E a Festa Hard Education, como rola?

PETDuo@ Hard Education no Panama Club, Amsterdam

PETDuo – 
Fizemos três edições em Amsterdam, uma aqui em Berlim, no Void Club, outra no Fabrik, em Madri, uma no Hard Club, no Porto, e uma na Eslovênia, em Lijubliana, no F-Club. O conceito das festas do Hard Education anda de mãos dadas com o podcast, que é: trazer músicas pesadas de artistas conhecidos e consagrados junto a músicas de novos produtores e DJs que estão despontando na cena, quer seja ela de hard techno, bem como de French Tech, Stompin’ alemão, Acid Techno Inglês ou Hard Techno Japonês. Nos eventos procuramos criar no line-up uma saudável mistura de estilos e DJs locais e internacionais, para mostrar para o público toda a diversidade musical que existe no universo hard mundial.

Music Non Stop – Artistas preferidos, de techno, hard e outros?

DJ Marky está na lista dos artistas preferidos dos Pets

PETDuo – De Hard Techno, gostamos muito de O.B.I., Greg Notill, BMG, Alex TB, Buchecha, Mario Malke, Svetec, Mike Drama, Miss Mallory, Linda Pearl, Zak MCCoy, Barbers, Golpe e Viper XXL, dentre outros. De Techno, gostamos muito de Jeff Mills, Magal, D.A.V.E. The Drummer, Sebastian Groth, Flug, The Horrorist, Dave Clarke, Mau Mau, Murphy, Manu Villas, DJ Ronald, Marika Rossa, dentre outros. E falando em outros estilos gostamos de DJ EZ, Marky, Andy, Cut Chemist, DJ Kentaro. De outros estilos nossos artistas preferidos são o Nine Inch Nails, Front 242, Ministry, Skinny Puppy, Nitzer Ebb, Frontline Assembly, Sisters Of Mercy, Alien Sex Fiend, Krisiun, Cavalera Conspiracy, Slayer, Black Sabbath, Dead Kennedys, Kiss… mas, nossa, são tantos que gostamos, falta espaço digital pra falar de todos!

Music Non Stop – O que da mais saudade daqui?

Os Pets tocando numa saudosa Circuito, em São Paulo

PETDuo – Dos amigos e da pista. Um belo de um suco de caju natural com um pastel de palmito faz falta também!

Music Non Stop – E do povo gritando “Lenha!”?

PETDuo – Hahaha!
 SSIIIIIMMMM!

Music Non Stop – Mas tem bastante brasileiro por aí né?

PETDuo – 
É verdade! Tem um montão! E, quando vamos tocar, algum deles levam o passaporte e ficam mostrando lá da pista, gritando: “EU SOU BRASILEIRO TAMBÉM!!!”, com o maior orgulho. Ficamos muito felizes de podermos representá-los nas pistas pelo mundo afora afinal, tudo que está acontecendo agora foi por causa desse amor que eles têm pela nossa música!

Music Non Stop – Estamos na lista dessa gig de lançamento do álbum?

PETDuo – 
Claro! Aguardem notícias 😉

Music Non Stop – Eba! E aquela mensagem para os fãs brazucas?

PETDuo – AMAMOS VOCÊS! OBRIGADO PELO SUPORTE E CARINHO AO LONGO DESSES ANOS!

× Curta Music Non Stop no Facebook