noisa radar

NOISE RADAR: A volta dos Festivais Gringos, novos vídeos de Post Modern Connection, The Baggios, o novo álbum de The War On Drugs e muito mais.

Por Bruno Montalvão

NOISE RADAR vai falar da volta dos Festivais de Música na gringa, novos videos de Post Modern Connection, The Baggios, Homeshake, The War On Drugs, as novidades do mercado musical, novos artistas, dicas do Groover e muito mais.

Festivais e muita música nova nesta edição de NOISE RADAR:

  • Vamos falar sobre a  volta dos Festivais na Gringa, e apresentar um radar exclusivo com as melhores Festivais da nova cena indie internacional, e quando eles estão previstos para acontecer: Levitation, Desert Daze, Treefort Music Fest, SXSW, Freakout Festival, POP Montreal, Iceland Airwaves, Rock The Mountain e mais.
  • NOVOS VIDEOS: Post Modern Connection (Kelowna, CA) apresenta a incrível e solar “Folie A Deux” e The Baggios, entrega tudo numa luta de boxe imaginária, a batalha do século entre as lendas: Julico x Agapito. E, para fechar, a live session dos CAIMANS, com o show deles para o Canadian Music Week 2021 e uma entrevista exclusiva.
  • Teremos a coluna Descobertas do Groover, com: Jenny Stevens and The Empty Mirrors (Finlândia), Colorfuzz (Estados Unidos), Keiona | KingChefs and DragQueens (França) e Sons de Mercúrio (Brasil).
  • Também vamos viajar por diversos países, na nossa seção NOISE RADIATION – Top#05 com destaques para Anchor The Sun (Escócia, UK), Nutopia (Costa Rica), Películas Geniales (México City), Tibetan Miracle Seeds (Escócia, UK), Homeshake (Canadá).
  • Os Álbums mais esperados da n̲̅o̲̅i̲̅s̲̅e̲̅ r̲̅a̲̅d̲̅a̲̅r̲̅ : THE WAR ON DRUGS | I Don’t Live Here Anymore (2021, Atlantic Records)
  • Playlist: GROOVER PLAYLIST

NOISE RADAR is on!!


A Volta dos Festivais

Sim, eles estão voltando! Os Festivais de Música e as aglomerações em shows gigantescos e de médio porte já são realidade em diversos países como Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Estados Unidos, Espanha, Reino Unido, México e essa lista só aumenta lá fora. Por aqui, no Brasil, ainda não sabemos muitos detalhes do que irá acontecer. Mas como lá fora o bicho tá pegando, resolvemos listar alguns dos festivais que mais gostamos/admiramos e suas datas para 2021 ou 2022.

Lollapalooza 2021

Faz poucos dias, nos Estados Unidos, tivemos a tão aguardada e comentada volta do gigantesco Lollapalooza, que aconteceu no Grant Park em Chicago e reuniu cerca de 440 mil pessoas (110 mil por dia), em 04 dias, com atrações como Foo Fighters, The Flaming Lips, Miley Cyrus, Post Malone, Megan Thee Stallion, Limp Bizkit, Brockhampton e Tyler, The Creator, entre outros.

No segundo semestre, acontecem alguns dos festivais indie que estão consideramos entre os melhores novos festivais de música norte-americanos, como: Treefort Music Fest e o Freakout Festival. E os incrivelmente psicodélicos Levitation e Desert Daze. E no Canadá, o POP Montreal.

LEVITATION 2021 e DESERT DAZE 2021

Originário de Austin, no Texas, o LEVITATION é um dos festivais psicodélicos mais importantes e legais do mundo, ele acontece anualmente (quase sempre no período do Halloween) e a edição de 2021 está confirmada e com nomes como Connan Mockasin, Yves Tumor, Chicano Batman, Fuzz, Crumb, Tinariwen, Black Midi, Thundercat, Japanese Breakfast, The Hives e os clássicos locais The Black Angels, Golden Dawn Arkestra, Holy Wave entre muitos outros. O festival LEVITATION se caracteriza por acontecer em diversas casas de shows da cidade de Austin, esse ano ele terá shows no Stubb’s, Monhawk, Empire, Cheer Up Charlies, Hotel Vegas, Elysium e Central Presbyterian. Aqui, eles apresentam cada venue, eu já fui 06 deles e posso atestar que todos são maravilhosos para se ter a experiência completa de ver um show fantástico, alguns deles com a sensação única de estar bem de perto do artista.

O visualmente incrível e sempre psicodélico DESERT DAZE, é um festival de música que também tem um pé em Austin e outro na California. Ele acontece no deserto californiano, com os palcos montados na beira do lago Perris, tem um espírito totalmente livre e quase sempre recebe artistas da novíssima geração psicodélica e indie. Depois de um ano de hiato por conta do Corona Vírus, o festival volta ao Lake Perris para uma semana de concertos e recebe como headliners The War On Drugs (leia mais no final da coluna), Ty Segall, Kamasi Washington, Devendra Banhart, Andy Shauf, The Budos Band, Toro Y Moy, Japanese Breakfast, Crumb, Moon Duo, entre outros grandes nomes da cena indie atual.

Treefort Music Fest 2021 e 2022

Cobrindo praticamente toda a cena do Idaho, o maravilhoso Treefort Music Fest é uma espécie de mini-SXSW e acontece em diversos venues e teatros de Boise City. O Festival iria acontecer em Março de 2020, mas foi adiado devido ao Corona Vírus e está previsto para voltar ao formato presencial agora em Setembro. Já fui nesse festival em 2017, onde assisti shows de Mac DeMarco, Alex Cameron, Reptaliens, The Growlers, Delicate Steve e posso dizer o quanto maravilhoso ele é. Previsto para acontecer de 22 a 26 de Setembro, o Treefort tem um line up gigantesco com +400 artistas e destaque para os shows de Calexico, Japanese Breakfast, The Marías, a lenda local Built To Spill, e ainda Tennis, Andy Shauf, Mdou Moctar, AJJ, Chong The Nomad, Xiu Xiu e inúmeros outros nomes da novíssima cena indie norte-americana. Confira a line up completo aqui.

Encrostada no meio de belíssimas montanhas, Boise City é uma cidade super tranquila e aconchegante, e com uma cena indie fortíssima, muitos jovens sedentos por shows e novos artistas e venues absolutamente lotados, não importa o artista que está tocando, eles estão lá e adoram conhecer música nova. O grande responsável por esse majestoso festival é o Eric Gilbert, que tem um programa de rádio, uma produtora de shows e agenciamento artístico e é o cara que movimenta a cena no Idaho. Ao lado dele está a Diretora Artística do Festival, Sara Peyton.

Já escrevi sobre o Treefort numa outra matéria que fiz para o Hits Perdidos, vale a pena conferir. O Treefort aliás, também voltará a acontecer na sua data normal, em Março de 2022, alguns dias depois do SXSW, que também voltará a ter sua edição original em Austin, no Texas.

SXSW 2022

A maior conferência de música e negócios do mundo acontecerá outra vez com a presença de público na cidade de Austin, Texas. O SXSW volta de forma presencial e acontecerá de 10 a 20 de Março de 2022, tomando conta de boa parte de Austin, com shows de artistas de diversas partes do mundo e a presença de profissionais da indústria musical global.

O SXSW é um dos festivais mais antigos e mais importantes dos Estados Unidos, os shows acontecem simultaneamente e estão espalhados por diversos venues, em diversas partes da cidade, com uma grande concentração na região que abrange a 6th Street e a Red River Street, mas há outros venues imperdíveis como Hotel Vegas, Electric Church, The Far Out Austin, que ficam em outras regiões da cidade. As palestras, paineis, o palco das rádios e feira de negócios acontecem no Austin Convention Center. O SXSW é um festival imperdível, tanto para quem trabalha na indústria musical, quanto para o artista que pretende internacionalizar o seu trabalho e também para o público altamente diversificado, formado em boa parte por norte-americanos de diversas partes do País que descem para Austin durante o evento e a presença de profissionais de diversos países. O Brasil sempre tem uma forte presença no evento e sua comitiva de profissionais criativos e artistas sempre está entre as principais do SXSW.

Megan Thee Stallion – SXSW 2019 – Photo by Lisa Walker

As inscrições para a edição de 2022 do SXSW já estão abertas e qualquer artista, de qualquer parte do mundo pode tentar uma chance de se apresentar na maior vitrine musical do planeta. Já participei do SXSW, tanto levando artistas para tocar, quanto como palestrante e recomendo fortemente esse evento, sem sombra de dúvidas é o evento mais importante da música nos Estados Unidos e um dos mais importantes do mundo.

FREAKOUT FESTIVAL 2021

Ainda nos Estados Unidos, tem o Freakout Festival, que irá acontecer em Novembro na cidade de Seattle e também coloca os seus shows em diversos venues espalhados pela cidade. O festival é organizado pelos produtores Skyler Locatelli e Guy Keltner, donos da Freakout Records, um selo super maneiro que agita não só a cena de Seattle, mas também de Portland, Boise City e outras cidades do Noroeste Pacífico. Esse ano, eles fizeram parceria inédita com o festival mexicano NRMAL e apresentam artistas como:

CEDRIC BURNSIDE · LIZ COOPER · THE SEEDS · BIG BUSINESS · THE MYSTERY LIGHTS · MATTHEW DEAR · JAIME WYATT · LEVITATION ROOM · CLINTON FEARON · ACID TONGUE · THE VACANT LOTS · JARV DEE · WHITE MYSTERY · TRIPTIDES · SHAINA SHEPHERD · AJ DAVILA · NO JOY · THE SHIVAS · MANATEE COMMUNE · SMOKEY BRIGHTS · THE GRIZZLED MIGHTY · LOS BLENDERS · PEARL CHARLES

Falamos com Guy Keltner, um dos organizadores do Freakout Festival sobre o que ele espera do festiva esse e qual sua expectativa sobre a volta dos festivais nos Estados Unidos, e em Seattle especialmente:

“Este ano, temos a sorte de não apenas hospedar o Freakout novamente em Seattle, mas também expandir o evento para torná-lo o maior do ano até hoje. Seattle começou gradualmente a abraçar nosso evento peculiar e underground. Talvez seja a nossa atenção aos detalhes, seja nossa extensa programação (mais de 90 artistas em 2021), a iluminação extravagante em cada local ou o grupo de fãs obstinados e voluntários que tornam o Freakout possível. Temos a sorte de trazer muitos artistas da América Latina este ano, em parceria com o Festival NRMAL da Cidade do México. A comunidade no noroeste do Pacífico e no exterior está realmente se reunindo para celebrar o rock & roll no evento deste ano.”

Guy Keltner, do Freakout Festival e banda Acid Tongue.

Canadá / POP Montreal 2021

No Canadá, mais precisamente em Montreal, haverá a 20º edição do incrível POP Montreal, com certeza um dos festivais mais legais da América do Norte. Fui nele em 2017 e não vejo a hora de voltar, na verdade se eu pudesse estaria lá todo ano para conferir esse festival, porque ele é muito legal, porque Montreal é uma cidade incrível e porque as pessoas lá são demais mesmo, um povo super cool e de bem com a vida (pelo menos no Verão). O POP Montreal é organizado pelo meu querido amigo Daniel Seligman e sua equipe altamente competente (Aisha Vertus, minha querida amiga e irmã é uma das principais produtoras do festival), com shows acontecendo por toda a cidade: Igrejas, Clubs, Teatros, Escolas, Parques… Para quem é de outro País, o festival tem um roteiro incrível para conhecer Montreal e, ao mesmo tempo, curtir todos os shows maravilhosos. Vale cada centavo de investimento, uma viagem para o POP Montreal.

O POP Montreal 2021 será um festival híbrido, presencial e virtual. Para shows presenciais, os protocolos atuais da Covid-19 serão aplicados e um passe de saúde será exigido na entrada dos shows, não serão vendidos ingressos na hora do show, somente venda antecipada. A programação inclui BackxwashSoccer Mommy, Cadence WeaponSuunsCakes da Killathe Dearsthe Besnard LakesChiiildDorothea PaasDijahSBSocalledfanclubwalletLe RenLightman Jarvis Ecstatic BandVagina WitchcraftNick SchofieldJanette KingDESIIREKorea Town AcidNOBRO e muito mais.

+ Festivais Gringos: Europa

A Europa não fica para trás e alguns países já anunciaram seus festivais de música. Na Islândia, terá o Iceland Airwaves, com shows de Metronomy, Arlo Parks, Black Pumas, Dry Cleaning, MAMMÚT, Karina, Vök, Júníus Meyvant, Sin Fang, Axel Flóvent, Squid, Marie Davidson entre outros. Iceland Airwaves é um festival de música eletrizante que acontece em Reykjavik, Islândia, todos os anos no mês de novembro. Como o festival é patrocinado pela Icelandair e pela cidade de Reykjavik, seu nome é inspirado nas companhias aéreas. Este festival deslumbrante exibe vários atos que vão desde eletrônicos enérgicos até hip hop agitado. Iceland Airwaves 2021 acontecerá de 3 a 6 de novembro e apresentará um line up incrível.

A KEXP é parceira do Iceland Airwaves há alguns anos e está sorteando uma viagem para a edição de 2021, para participar basta fazer uma pequena doação para a rádio norte-americana (SIMMMM, para quem não sabe, a KEXP só sobrevive e consegue realizar todos os seus projetos maravilhosos e sessions incríveis, graças ao apoio dos seus ouvintes e doações de diversas partes do mundo). Gostaria de participar? Então, clique na imagem ou confira aqui.

 

 

o Levitation também tem sua edição francesa e ela acontecerá dias 24 e 25 de Setembro, em Angers, uma belíssima cidade no interior da França. Conhecido por sempre revelar novos artistas, nessa edição haverá shows de Sonic Boom, Shame, The Limiñanas, Los Bitchos entre outros.

Ainda na Europa, teremos o gigantesco Primavera Sound 2022 que anunciou sua volta para 2022 e teve todos os ingressos esgotados em poucos dias. O Primavera é um dos festivais mais incríveis do mundo e tem o line up mais poderoso que existe. Sem falar na experiência única de ver os shows no Parc Del Fórum. As melhores bandas do mundo, nos seus melhores momentos, se apresentam no Primavera. Há ainda mais festivais acontecendo na Espanha, Portugal, Reino Unido, Alemanha, todos os países nórdicos e boa parte do Leste Europeu, a lista só aumenta.

O lineup absurdo do Primavera Sound, melhor festival do Planeta!

E no Brasil?

No Brasil, ainda não há uma previsão que seja consolidada sobre a volta dos festivais de música, alguns falam em Novembro de 2021, que é o previsto para acontecer em São Paulo. Aliás, São Paulo deveria ser a bússola a ser seguida pelo Brasil nesse momento, e os protocolos deveriam ser severamente cumpridos, mas infelizmente, como estamos vivendo num país desfacelado e completamente dividido, isso cabe a cada Estado, que atua de forma distinta sobre cada realidade.

Há rumores de volta de festivais no Rio de Janeiro, por exemplo, onde já anunciaram o sensacional lineup do Rock The Mountain, esse precioso Festival que é realizado no meio das montanhas da Serra de Itatiaia e está preparadíssimo para acontecer, esperando apenas um sinal verde das autoridades sanitárias. Aliás, esse é um dos festivais mais incríveis do Brasil no momento, ainda não tive a oportunidade de ir presencialmente (gostaria muito!), mas tudo o que vejo e escuto dele é maravilhoso, sem falar no lugar né? Um festival no meio das montanhas é tudo de melhor: natureza, liberdade e música de qualidade, curtir um pôr do sol vendo aquele show maravilhoso, isso é vida! O Rock The Mountain talvez seja, no Brasil, um dos festivais de música com maior espírito e clima de festival gringo. Isso merece louvor e um parabéns efusivo aos organizadores do evento. Torcemos muito para que role a edição desse ano, apesar do momento delicado em que vivemos.


Novos videos: Post Modern Connection (CA), The Baggios (BR) e Caimans (BR).

Uma das coisas coisas mais legais dessa minha vida de produtor artístico e manager, em todos esses anos de trabalho na indústria musical, é a possibilidade de sempre poder ver e ouvir os lançamentos dos artistas em primeira mão. Então, eu gostaria de compartilhar alguns videos incríveis que estão na rede e/ou irão chegar em breve.

frames do novo videoclipe “Folie A Deux” que tem estréia marcada para 26 de Agosto.

POST MODERN CONNECTION (Kelowna, CA)

Post Modern Connection é uma banda indie que desafia as normas. Apresentando constantemente inspirações ecléticas, a banda cativa você antecipando o que vem por aí.

Sua paisagem sonora varia, a música combinada com composições pensativas e cuidadosamente elaboradas. Os vocais cheios de soulful R&B e riffs indie-pop cativantes – pares de sintetizadores eletrônicos com violino clássico – a capacidade do Post Modern Connection de tocar com a dinâmica é aparente. Eles descrevem melhor seu som como quando o Indie-rock encontra o Neo-Soul & Jazz. The Strokes encontra Leon Bridges. A inspiração vem de artistas como King Krule, The Strokes, Alabama Shakes, Early Eyes, Leon Bridges, Hiatus Kaiyote e Hippocampus.

As inspirações do Post Modern Connection são tão diversas porque é isso que eles são como uma banda. O vocalista e guitarrista Tega vem da Nigéria, o guitarrista Georges do Líbano; o baixista Steven é de Taiwan, enquanto o baterista Cam e o cara do sintetizador e violinista, Mitch, chamam o Canadá de seu berço.

Conheci o som deles por indicação do meu amigo Alexandre Giglio, do Minuto Indie, que listou o som deles no quadro “10 bandas INDIE para prestar atenção!”. Pouco tempo depois, em 2020, quando estava organizando o Global Music Fest e também por indicação do Alexandre, acabei os convidando para se apresentar no Festival e a nossa relação de trabalho e amizade começou. Tega é um grande músico e artista muito sensível, dono de um talento enorme e de uma muito voz especial.

A banda lança “Folie A Deux” no dia 26 de Agosto, o novo videoclipe e que é também o primeiro single de trabalho do novíssimo e primeiro EP da banda, previsto para ser lançado em Outubro/2021.

ASSISTA AGORA – “Folie A Deux”, de Post-Modern Connection

Como podemos encontrar a verdade em nós mesmos?

Post Modern Connection fala sobre a música:
Nossa nova música, “Folie A Deux”, de nosso próximo EP, descreve o quão complicada pode ser a experiência de autodescoberta. Às vezes, tentar refletir e se questionar pode ser um diálogo confuso e conflitante. Esta cativante música indie surf rock justapõe a complexidade da sua jornada lírica com uma apresentação aparentemente simples. Criando uma experiência auditiva divertida, mas profunda. Uma das nossas falas favoritas de “Folie A Deux” é “somos tão bons quanto nossos deuses”.

Em muitos textos religiosos e histórias mitológicas, os Deuses são retratados com imperfeições. Alguns até tiveram que superar desafios antes de atingir a divindade. Para aqueles de nós que adoram essas figuras, precisamos nos lembrar de que somos apenas humanos e somos tão bons quanto as crenças, padrões e ideais que subscrevemos e defendemos.

THE BAGGIOS (São Cristóvão, SE)

The Baggios está a pleno vapor divulgando os singles que estarão no seu próximo álbum “Tupã-Rá”, previsto para ser lançado em Outubro/2021 pelo selo Toca Discos, com distribuição da AltaFonte Brasil e agenciamento artístico da Brain Productions Booking.

“Clareia-Trevas”, o segundo single de “Tupã-Rá” ganhou um antológico videoclipe, onde a banda apresenta uma luta imaginária entre Julico (vocalista e líder da banda) e o icônico Agapito, que já esteve na capa de um dos álbuns da banda “Sina” (2015). O clipe é super divertido e dinâmico, e a música é rápida, isso ajuda bastante a compor a “batalha do século” entre Julico x Agapito.

The Baggios não pára e já soltou single novo: “Deixa Raiar” é o terceiro single do novo álbum e em breve também ganhará um novo videoclipe. Aguardem, pois muitas novidades da The Baggios estão por vir.

CAIMANS (São Paulo, SP)

A banda CAIMANS lançou há pouco a música “What She Can’t Have”, que já está disponível no YouTube e todas as plataformas digitais, e agora lançam uma performance inédita que foi gravada com exclusividade para o Canadian Music Week, os irmãos Luca e Peder falam mais sobre o lançamento:

“Essa performance para a CMW virtual foi um grande desafio, mas muito divertido de produzir! Nesse vídeo apresentamos não só a performance, mas também os bastidores dela. Gravamos duas músicas, uma delas inédita, no rooftop do nosso prédio em São Paulo, com o próprio equipamento do nosso estúdio.”

A dupla ainda promete um novo single “Back Tonight”, que chegará em breve nas plataformas digitais.


Descobertas do GROOVER

A cada edição da coluna, destacamos 03 novos artistas que encontramos na plataforma francesa Groover. E os destaques dessa coluna são:

JENNY STEVENS AND THE EMPTY MIRRORS (Finlândia)

É tão bom quando encontro um artista no Groover em que gosto muito do som logo de cara. Jenny Stevens e os Espelhos Vazios chega com o aconchegante “The River Rolls On” e apresenta suas credenciais. Tem um pouco de Cocteau Twins, Slowdive, Everything But The Girl, mas tem muito mais. A música é profundamente delicada, tem uma harmonia etérea e os belos vocais de Jenny Stevens realçam a canção mais ainda. É realmente uma música para ter em mente, muito boa para começar o dia ou para colocar em alguma playlist de música relaxante. Me mandem mais disso, por favor!

COLORFUZZ (Estados Unidos)

“Taking The Chance” é pontuada por vocais enterrados em efeitos e uma forte presença de sintetizadores, o que confere ao single um som psicodélico progressivo e muito interessante. O clima da música varia muito e apresenta paisagens bem diversas, me lembrou um pouco o David Bowie, mas com um frescor das bandas neo-psicodelistas atuais como Tame Impala e MGMT.

KEIONA | KingChefs and DragQueens (França)

Keiona Mitchell, pic by ©Jean Ranobrac

KingChefs and DragQueens é a agência francesa para eventos gourmet e extravagantes com a primeira banda de DragQueens da França. Comediantes, dançarinos, modelos, maquiadores … e cantores! Músicas em inglês ou francês com letras tocando glamour, humor, luxúria e extravagância. Aqui está o elenco de drag artist mais espetacular da nova cena parisiense: Alice Psycho, Catherine Pine O’Noir, Cookie Kunty, Freya Kor, Hugo Bardin Paloma, Jerrie Fitzgerald Kennedy, Keiona, La Grande Dame, La Kahena, Mariska Stardust, Nomai et Sublyme. O EP de estreia “Volume 1” está disponível em todas as plataformas de streaming de música.

Um dos talentos, Keiona é uma figura emblemática da cena voguing. Ela atua em todo o mundo e, dado seu nível de excelência, agora ensina. Com o produtor e fundador da trupe KingChefs e DragQueens, Philippe Quintin-Stern, a eletrizante Keiona descobre mais um talento: cantar. Entre dois lockdowns, Keiona vai dar masterclasses no Rio e descobre a cena voguing brasileira por lá. Ela vai se apaixonar pelo dançarino Fernando. Nove meses depois, eles ainda estão juntos, e a beldade de olhos aveludados agora fala português fluente (ou quase). Este é um single solo onde criamos para a nossa rainha Keiona um samba-enredo, título cativante e feito sob medida, Bailar, no qual a cantora de voz radiante escreveu as letras.

 

SONS DE MERCÚRIO (Brasil)

Dá para sentir diversas influências na música e sonoridade do SONS DE MERCÚRIO, banda originária de Feira de Santana, Bahia. Em “A Casa Vai Cair” eles recebem o cantor Almério, e cantam sobre a queda dos padrões, com toda a força da união de vozes nordestinas. O resultado é honesto, é forte. Não sei, posso estar viajando, mas é um som bem teatral, que pode agradar em cheio aos fãs de artistas como O Teatro Mágico, Cordel do Fogo Encantado.

Você é Artista ou Selo Musical que representa algum artista novo e quer mandar sua música para a Brain Productions Booking analisar? Use esse link e mande para nós agora mesmo.


NOISE RADIATION – Top#05

Nessa edição teremos como destaques os artistas: Anchor The Sun (Escócia, UK), Nutopia (Costa Rica), Películas Geniales (México), Tibetan Miracle Seeds (Escócia, UK), Homeshake (Canadá).

ANCHOR THE SUN (Escócia, UK)
Anchor the Sun é o projeto solo de Lilly J. Lilly é uma compositora brasileira residente em Londres e, atualmente, em Edimburgo. A poderosa delicadeza de seu trabalho retrata introspecção, tensão e esperança. Sua honestidade poética brinda o ouvinte com um ponto de vista alternativo – que o faz questionar e (não) concluir.

Ouvintes disseram sobre o trabalho e a voz de Lilly: -“BITTERSWEET”. “Me dá tristeza e esperança ao mesmo tempo”. “Você encontra luz na sua escuridão e escuridão na sua luz”.
No processo de transição de banda para carreira solo, durante a pandemia, Anchor the Sun lançou o single I Don’t Know, seguido de Not Enough e o hit de pandemia When This Is Over, com músicos em suas casas em 5 países diferentes.

SAY IT foi produzida em colaboração com o ex-colega de banda Bruno Prado, e masterizada por Big Bass Brian. Lilly descreve o single – “…é sobre o conflito interno que surgiu durante um período estranho da minha vida, quando percebi que não me dava o apoio que eu precisava. Ao mesmo tempo, eu buscava reafirmação em relações inevitavelmente tóxicas. A imagem que pintei na minha mente foi a de uma menina, parada na porta do apartamento de um amante, prestes a ir embora para nunca mais voltar. Ela então começa, em um monólogo, a explicar por que ela não pode mais ficar com ele. Nesse momento, uma luz a faz perceber coisas sobre si mesma, e ela entende que foi ela que se colocou nesta situação. Passada a epifania, ela decide dar ao amante a chance de falar. Aí termina a música. A resposta dele? É o ouvinte que decide.”

NUTOPIA (Costa Rica)

A Nutopia apresenta a primeira de uma série de músicas com vídeos animados que fazem parte de um EP que foi produzido, gravado e animado remotamente durante a pandemia. Esta produção audiovisual completa produzida via Zoom e compartilhamento de arquivos no Google Drive, é o resultado da colaboração entre a porto-riquenha Nutopia; residente em Orlando, o produtor musical porto-riquenho Cvrrent e o animador argentino Jultonic.

O resultado é seu novo som que mistura sons alternativos/funk atuais com as vibrações pop indie clássicas que caracterizaram o som de Nutopia desde o início. O projeto não se limita ao som, pois apresenta a primeira vez que a Nutopia colabora na contação de histórias com Julian Freijo fazendo com que você mergulhe em seu próprio reino de desenho animado.

‘Suerte’ é o primeiro single de seu próximo EP que será lançado em 2021. O trabalho deles começou antes da pandemia, quando o avô de Francisco (Nutopia) o aconselhou a trabalhar ao lado de seu primo (Cvrrent), que estava procurando música em Orlando, como produtor musical. Com as necessidades atuais e a magia do mundo online reveladas pela quarentena, a banda e ele estão atualmente fazendo um EP que está previsto para ser lançado este ano.

PELÍCULAS GENIALES (México City, MX)

A sensação indie mexicana Películas Geniales, ataca outra vez com “Demasiado Tarde”, uma faixa inédita com a participação da cantora argentina Lucía Tacchetti (falamos dela na coluna passada).

A música é uma delicinha indie cantada em espanhol, onde temos os vocais de Lucía se  encaixando perfeitinho na sonoridade neo-psicodélica do “cãozinho indie”. Películas Geniales é uma das mais divertidas novidades da cena indie mexicana, o vocalista se apresenta com uma máscara de cachorro e toda a banda usa roupas diverttidas e fantasias, se ainda não os ouviu ou viu algo, não perca tempo e tente agora!

TIBETAN MIRACLE SEEDS (Escócia, UK)

Altamente psicodélico, o álbum “Inca Missiles” é uma maravilha moderna com um pé fincado no rock progressivo e psicodelismo dos anos 60 e 70, mas com roupagem bem atual e vocais super deliciosos, descobri esse som faz pouco tempo e já é meu álbum preferido do momento! Tibetan Miracle Seeds é de Dundee, Escócia e isso é incrível, ainda mais por eles serem uma banda de rock psicodélico com a cara das bandas de Austin ou Austrália.

HOMESHAKE (Canadá)

O HOMESHAKE, projeto do fofíssimo, mega talentoso e querido amigo Piter Sugar, acaba de lançar uma nova música e isso é tudo! Escute agora e derreta-se com a música sensual indie lo-fi de Paulinho Açúcar. O video foi produzido por Brain Dead Studios, Dirigido por Keith Rankin e Ellen Thomas, e Coreografia de Azuki Umeda.

Piter Sugar e Eu, em 2017, na porta do Breve Club.


Os Álbums mais esperados da n̲̅o̲̅i̲̅s̲̅e̲̅ r̲̅a̲̅d̲̅a̲̅r̲̅ :
THE WAR ON DRUGS: I Don’t Live Here Anymore (Atlantic Records | Release Date: October 29, 2021)

The War On Drugs anunciam I Don’t Live Here Anymore, seu primeiro álbum de estúdio em quatro anos, que será lançado em 29 de outubro pela Atlantic Records. Nos últimos 15 anos, The War on Drugs emergiu como um dos grandes sintetizadores do rock and roll deste século, removendo as lacunas entre o underground e o mainstream, entre o obtuso e o hino, fazendo discos que lutam contra um passado fragmentado em um presente unificado e envolvente. The War On Drugs nunca fez isso tão bem quanto com seu quinto álbum de estúdio, I Don’t Live Here Anymore, um álbum de rock incomum sobre um de nossos processos mais comuns, mas assustadores: a resiliência diante do desespero.

Apenas um mês depois de A Deeper Understanding de The War On Drugs receber o Grammy de Melhor Álbum de Rock de 2018, o núcleo de Granduciel, o baixista Dave Hartley e o multi-instrumentista Anthony LaMarca retiraram-se para o norte do estado de Nova York para tocar e gravar novas demos, trabalhando fora dos papéis predeterminados que cada membro desempenha no cenário ao vivo. Essas sessões se mostraram altamente produtivas, gerando versões iniciais de algumas das músicas mais imediatas de I Don’t Live Here Anymore. Foi o início de uma odisséia de mais de uma dúzia de sessões que durou três anos e sete estúdios, incluindo alguns dos maiores workshops sônicos do rock, como Electric Lady em Nova York e o Sound City, de Los Angeles. O líder da banda Adam Granduciel e o co-produtor / engenheiro de confiança Shawn Everett passaram horas incontáveis ​​retirando cada peça dessas canções e reconstruindo-as.

Uma das sessões mais memoráveis ​​ocorreu em maio de 2019 no Electro-Vox, em que toda a formação da banda – composta pelo tecladista Robbie Bennett, o baterista Charlie Hall e o saxofonista Jon Natchez – se reuniram para gravar a comovente abertura do álbum “Living Proof”. Normalmente, Granduciel monta discos de The War On Drugs a partir de resmas de overdubs, como uma espécie de quebra-cabeça de rock ‘n’ roll. Mas para “Living Proof”, a faixa veio junto em tempo real, enquanto os músicos usavam sua química como uma unidade ao vivo para invocar um pouco de magia extemporânea. O imediatismo da apresentação foi apropriado para uma das canções mais pessoais que Granduciel já escreveu.

A combinação particular de complexidade e imaginação de The War On Drugs anima as 10 canções de I Don’t Live Here Anymore, reforçando os sentimentos da odisseia pessoal de Granduciel. É uma expressão do poder do rock ‘n’ roll para traduzir nossa própria experiência em músicas que podemos compartilhar e palavras que direcionam nosso olhar para a possibilidade do que está por vir.

I Don’t Live Here Anymore Tracklist 

1. Living Proof

2. Harmonia’s Dream

3. Change

4. I Don’t Wanna Wait

5. Victim

6. I Don’t Live Here Anymore

7. Old Skin

8. Wasted

9. Rings Around My Father’s Eyes

10. Occasional Rain

A banda já tem uma extensa turnê anunciada em 2022, cruzando os Estados Unidos e a Europa.

Para relembrar como é incrível um show dos The War On Drugs, voltamos no tempo com esse show que aconteceu em Dezembro de 2019, e foi realizado no Union Transfer em Philadelphia, PA. Que é por sinal, a casa deles… nada como jogar em casa!

PLAYLIST: GROOVER #HotList

Essa é uma playlist que criei faz pouco tempo e é parte das minhas pesquisas na plataforma GROOVER, nela coloco 01 ou mais canções de cada artista que me envia material para resenhar na plataforma, dando assim um breve retrospecto dos novos artistas que estão acontecendo no GROOVER.

—————————————————————————————————————————————————————
Câmbio, Desligo!
n̲̅o̲̅i̲̅s̲̅e̲̅ r̲̅a̲̅d̲̅a̲̅r̲̅ volta em breve!

Bruno Montalvão

Carlo Bruno Montalvão gosta de gatos, acredita em ETs e se considera um deles, prefere Marvel, Torce pro Lakers e Flamengo e espera que o mundo se cure de todas as mazelas dessa pandemia e que todes se Vacinem. Montalvão também é manager, booker e produtor cultural com +23 anos de experiência e trabalhos realizados na Indústria Musical. Já realizou turnês por todo o Brasil, e também Estados Unidos, Marrocos, Canadá, México, Argentina, Espanha, Chile, Itália, Suíça, França, deu palestras no SXSW, Pop Montreal e diversos outros Festivais. Trabalhou com artistas como Mac DeMarco, Sebadoh, Jonathan Richman, Acid Mothers Temple, Vanguart, entre outros. Atualmente comanda a Brain Productions Booking e o selo indie Before Sunrise Records. #UsemMáscaras #VacinaparaTodos

× Curta Music Non Stop no Facebook