Mulher Maravilha 1984: como seria a vida da nossa heroína se ela tivesse vivido de verdade no auge dos anos 80

Amanda Sousa
Por Amanda Sousa

Hoje estreia nos cinemas o filme Mulher Maravilha 1984 com uma trama inteligente e esperançosa. Tudo o que a gente precisa para esse finalzinho de 2020, não é mesmo? Além de tudo, é um filme divertido e emocionante. E para aproveitar esse clima nostálgico dos anos 80 em que a trama acontece, trouxemos aqui as principais coisas que a Mulher Maravilha estaria fazendo, ouvindo e vestindo se realmente estivesse em 1984. Se você tem mais de 30, como eu, vem relembrar o que estava rolando. Mas, se você é da geração anos 2000, vem ver como foi bom (e engraçado).

A década de 80 foi um período muito marcante e cheio de acontecimentos para a história do século XX. O mundo ainda era dividido em dois: o bloco capitalista e o bloco socialista; fumar era cool; o rock brasileiro vinha surgindo com Blitz, Paralamas do Sucesso, Kid Abelha (que na época chamava-se Kid Abelha e os Abóboras Selvagens), Menudos…o primeiro ônibus espacial decolou; a Guerra Fria terminou, o muro de Berlim caiu. E como estaria a heróina estrela do filme Mulher-Maravilha 1984 em meio a isso tudo? 

Com certeza ela faria parte do movimento feminista, que começava a ganhar mais força. Empoderada, certamente seria uma das lideranças e teria como inspiração a rainha Madonna, com o ousado sucesso Like a Virgin.

Outro ícone que estava abalando o patriarcado na época era Cindy Lauper, que estava emplacando a música Time After Time,  lançada em 1983.

Nessa época surgia a MTV e o hip hop, além do synthpop nas pistas de dança. No underground foi criado o rótulo música industrial para bandas eletrônicas mais experimentais e obscuras, além de diversas bandas de rock, que tornaria popular os gêneros hard rock e heavy metal.

E você não vai achando que ela colocava lá uma playlist do Spotify pra tocar essas músicas. Muito antes disso, as playlists eram feitas em fitas cassetes e seriam reproduzidas em seu walkman! Na época a música, finalmente, se tornava portátil e era um acontecimento. Todo mundo queria um.

Walkman. Foto divulgação

O Michael Jackson foi definitivamente o maior ícone da década de 1980. Com imagem e estilos marcados por suas jaquetas de couro, luva, e o passo Moonwalk, fora muitas vezes imitado. Seu famoso álbum de 1982, Thriller, tornou-se o mais comercializado de todos os tempos, com vendas estimadas entre 65 a 110 milhões de cópias em todo o mundo.

E como não se lembrar do programa infantil Balão Mágico, produzido e exibido pela Rede Globo de 83 a 86, apresentado por Fofão e Simony. O Fofão, inclusive, fez tanto sucesso que ganhou até um programa próprio – a TV Fofão, na Rede Bandeirantes. Orival Pessini – que interpretava o boneco. Com o sucesso do personagem, foram lançados vários discos e produtos com seu nome.

Fofão. Foto divulgação

Mulher Maravilha certamente estaria lendo o livro Operação Aquitânia, de Robert Ludlum – o livro mais vendido nos Estados Unidos. Já aqui no Brasil, Jorge Amado reinava com o romance Tocaia Grande: A face Obscura. Uma década mais tarde, o texto serviu até de inspiração para uma novela, transmitida pela Rede Manchete – que foi fundada em 1983.

Livro de Jorge Amado. Foto divulgação

A inspiração cinematográfica de Mulher Maravilha viria, sem dúvida, de Stanley Kubrick e Martin Scorcese, que nessa época revolucionaram o cinema com o filme O Iluminado e Touro Indomável, respectivamente. Já em 1984 o cinema juvenil ganhava um legítimo representante, Karate Kid (Karatê Kid – A Hora da Verdade), com Pat MoritaSteven Spielberg e Harrison Ford fazem o segundo Indiana Jones – Indiana Jones and the temple of Doom. 

Poster Indiana Jones and the Temple of Doom. Foto divulgação

E o que usaria Mulher Maravilha para ir ao cinema? Os anos 80 foram marcados pelas roupas extravagantes, coloridas e os videoclipes da época ditavam a moda. A Madonna foi um grande ícone também da moda exibindo suas roupas super brilhosas, com ombreiras, mangas-morcego e muitos acessórios. A regra de look naquela época era não passar despercebido!

O visual a lá Madonna era muito comum porque era ela que ditava a moda durante os videoclipes

Mulher Maravilha acompanharia a febre tecnológica do momento: os videogames (Atari) e computadores pessoais, como o Macintosh, da Apple. O Macintosh foi o primeiro computador a  a popularizar a interface gráfica, tela incorporada e mouse, saca só como ele era

Macintosh 128K de 1984. Foto divulgação

 

Na década de 80 no esporte, aconteceu a doída Tragédia do Sarriá – como ficou conhecida a derrota da seleção que para muitos foi a melhor seleção de todos os tempos: a partida entre Brasil e Itália na copa de 82. O acontecimento fez toda uma geração chorar em frente a televisão. Porém, nem tudo era ruim. Em outros esportes, como na Fórmula 1, o período foi de grande comemoração e o Brasil venceu quatro vezes o mundial, sendo três com Nelson Piquet em 1981, 1983 e 1987 e uma com Ayrton Senna em 1988. Já no vôlei, o Brasil derrotou a URSS (Seleção Soviética de voleibol masculino) em partida histórica no Maracanã em 1983.

Ayrton Senna e Alain Prost

× Curta Music Non Stop no Facebook