Mostra macaBro O cemitério das almas perdidas Rodrigo Aragão

Festival especializado em cinema de horror brasileiro mostra o que há de melhor em sessões gratuitas. Indicamos 5 destaques

Avatar
Por Yasmine Evaristo

O Centro Cultural Banco do Brasil promove a Mostra MacaBRo, com o que há de melhor no cinema de horror brasileiro contemporãneo. O evento conta com 44 produções. Confira toda a programação e as indicações do Music Non Stop. Online e gratuito

 

A partir de quarta-feira, dia 28 de outubro de 2020, o Centro Cultural Banco do Brasil promove Mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo. A Mostra acontecerá entre 28 de outubro a 23 de novembro e fará um pela produção audiovisual de terror 100% brasileira. A programação conta com 44 produções entre longas e curtas-metragens da nova geração de diretores e diretoras, e também com nomes consagrados. 

Antes de mais nada, com o objetivo de reduzir os riscos apresentados pela covid-19, toda a programação será online e conta também com debates e palestras, com inscrições via Sympla. Contudo acontecerão também cursos e lives no Youtube e Instagram da @blgentretenimento, sem necessidade de inscrição prévia. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil e tem produção da BLG Entretenimento.

As exibições acontecerão na plataforma Darkflix serviço de streaming do gênero Cinema Fantástico. Os títulos ficarão disponíveis por 24 horas, sendo que os longas terão limite de visualizações e os curtas estarão disponíveis durante uma semana. 

Mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo

A curadoria foi feita por Breno Lira Gomes  e Carlos Primati. A seleção da dupla entre curtas
e longas-metragens focou na produção nacional dos últimos cinco anos, entre 2015 e 2019, com data de
lançamento até 2020.

Assim os títulos selecionados contém forte experimentação visual, histórias horripilantes que tenham a nossa identidade. Segundo Breno “A mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo vem para celebrar esse cinema cheio de coragem e vontade de encontrar o seu público. E principalmente, de narrar uma boa história de terror essencialmente brasileira, com temáticas ligadas à nossa cultura.” 

Homenagens na Mostra macaBRo

A mostra será dividida em quatro semanas temáticas que homenagearão expoentes do cinema de horror brasileiro contemporâneo. Primeiramente teremos uma programação voltada para a Vermelho Profundo produtora paraibana formada pelos cineastas Ramon Porto Mota, Ian Abé, Jhésus Tribuzi e Fabiano Raposo, responsáveis por produções voltadas ao tema fantástico. Serão exibidos longas e curta-metragens da produtora durante essa primeira semana. 

Já na segunda semana a homenageada é a cineasta Gabriela Amaral Almeida com a exibição de uma retrospectiva da sua obra. Em seguida, na terceira semana, é a vez de adentrar na obra de Dennison Ramalho. Assim, por último, a mostra encerra suas semanas temáticas com a exibição de curtas-metragens que homenageiam ou que tenham participação de José Mojica Marins, o Zé do Caixão, incluindo documentários, animações e filmes experimentais, raros e pouco vistos. 

Além disso entre os longas exibidos a Mostra macaBRo destacam-se algumas produções que lançaram nomes de relevância no cenário do cinema nacional atual. Deixamos aqui algumas dicas do que assistir ao longo do evento. 

Cabrito Luciano de Azevedo

Pré-estreia Mostra macaBRo: Cabrito

O filme do mineiro Luciano de Azevedo abriu o festival com uma sessão exclusiva para clientes do Banco do Brasil.  Cabrito conta a história de um homem assombrado pelas pessoas que ama. O filme é dividido em três partes, sendo que inicia com o pai introduzindo o canibalismo na família. A segunda parte aborda sua mudança de comportamento conforme é influenciado pela religiosidade extremista de sua mãe, e o ato final na obsessão nunca superada por seu primeiro amor. 

O longa de Azevedo contém muitas cenas que provocam nojo e repulsa. Ainda que se passe em ambientes familiares e simples o desenvolver da trama transforma esses lugares em ambientes inabitáveis. As escolhas do diretor para iluminação e fotografia das cenas amplia a sensação de sujeira e tenebrosidade. 

O longa é protagonizado por Samir Hauaji, vencedor do prêmio de Melhor Ator no Fantaspoa e no CineFantasy. Apesar da sessão na mostra ser única o filme estará disponível nas plataformas digitais Amazon Prime Video, NET NOW, Looke e Vivo Play, para todo o Brasil, a partir do dia 29 de outubro.

O nó do diabo vermelho profundo

Semana Vermelho Profundo: O nó do diabo 

Concebido incialmente para ser uma série O nó do diabo foi transformado em antologia para ser lançado. Mas essa alteração no formato não atrapalhou a produção da Vermelho Profundo de discutir os problemas da escravidão em uma fazenda canavieira. Após os anos em que esse lugar foi um palco de horrores pros escravizados que lá habitavam, o passado cruel permanece marcado ainda que ninguém perceba.

Os cinco contos que compõem o filme abordam eventos estranhos que passam a se desenvolver nesse espaço, devido a0 passado daquele local. Portanto, quando a morte torna-se evidente é inevitável se esconder das dores ali promovidas. 

Os capítulos funcionam de maneira independente um do outro, mas a temática que os une é a mesma. Ainda que os primeiros episódios sejam muito marcantes e assustadores, os dois finais perdem um pouco de sua força ora pelo rimo, ora por atuações menos aprimoradas, mas ainda assim vale ser visto. Na Mostra macaBRo o filme será exibido de maneira fascicular entre os dias 29 de outubro e 02 de novembro, às 16h.  

Terminal Praia Grande Mavi Simões

Semana Gabriela Amaral Almeida: Terminal Praia Grande

Dirigido por Mavi Simão o longa Terminal Praia Grande é um filme de horror, como elementos de drama e surrealismo. Uma mulher reencontra seu ex-namorado, que esconde dela o real motivo de seu desaparecimento anos antes. A diretora que comanda desde 2007 o Festival Maranhão na Tela assina pela primeira vez a direção de um longa.

Seu filme trabalha com estranhamentos, pois sempre está em suspensão a ideia de que a protagonista pode estar sonhando, enlouquecida ou morta. Ao mesmo tempo é um filme de ritmo mais lento, como momentos de poucos diálogos e cenas longas. E seu brilho está justamente nesses elementos mantém a atmosfera estranha, onírica e desconexa. 

O longa será exibido nos dia 09 de novembro, às 20h. 

Morto não fala Dennison Ramalho

Crédito: Fábio Rebelo

Semana Dennison Ramalho: Morto não fala 

O premiado Morto Não Fala, de Dennison Ramalho, foi exibido em mais de 40 festivais no mundo. Protagonizado por Daniel de Oliveira, Fabíula Nascimento e Bianca Comparato narra a vida de um legista assombrado por um espírito vingativo.

O tema amplamente abordado e conhecido nos filmes americanos dessa vez ganha locação brasileira. Stênio é funcionário do IML na periferia de São Paulo e tem o dom paranormal de se comunicar com o corpos com os quais trabalha. Assim o filme acontece de maneira linear e a comunicação com os mortos é tão natural quanto em qualquer filme do gênero.

Mas, como as novelas brasileiras escritas por Nelson Rodrigues o filme tem características como sensualidade e punitivismo. O mal estar provocado pelo diretor está nos dilemas dos personagens e nas cenas banhadas a sangue. Contudo Dennison já nos coloca em contato com corpos moros, inchados, mutilados e nus desde o início do filme, o que evita a sensualização ou o sensacionalismo sobre corpos como vemos em boa parte dos filmes de terror. 

Sem dúvidas este é um dos melhores filmes de horror feito nos últimos anos no Brasil. Morto não fala será exibido no dia 17 de novembro, às 16h.

Semana José Mojica Marins: O cemitério das almas perdidas 

Após uma série de filmes com zumbis o capixaba Rodrigo Aragão volta a cena com orçamento maior e uma viagem no tempo. O cemitério das almas perdidas se desloca par ao período colonial para que conheçamos um jesuíta corrompido pelo maligno Livro de Cipriano. Junto de seus companheiros de missão ele aterroriza o Brasil nos tempos coloniais.

Porém o filme também se desloca para um período mais recente da história e mostra o impacto da maldição na vida da comunidade que se encontra no entorno do castelo em que esse grupo jesuíta se firmou. É um filme que foca em seus aspectos visuais como meio de atingir o espectador. Dessa maneira veremos  flechadas, decapitações e perfurações o bastante para agradar qualquer fã do gênero. Como sempre a maquiagem é muito bem elaborada sejam os personagens vivos ou mortos-vivos seculares.

O cemitério das almas perdidas será exibido no encerramento da Mostra macaBRo, dia 23 de novembro, às 18h e será seguido de uma live com o curador do evento, Carlos Primati, e o diretor do filme, Rodrigo Aragão

Acesse a Darkflix e faça seu cadastro par acompanhar a Mostra macaBRo

Mostra macaBRo – Programação completa

Semana Vermelho Profundo

28 de outubro, quarta-feira
18h – O hóspede (curta-metragem)
19h – Live com os diretores Ramon Porto Mota e Ian Abé da produtora homenageada
Vermelho Profundo
20h – A noite amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)


29 de outubro, quinta-feira
16h – Cova aberta (curta-metragem)
18h – O nó do diabo – Episódio 1
20h – Canto dos ossos


30 de outubro, sexta-feira
18h – O nó do diabo – Episódio 2
19h – Live com Mariah Benaglia e Jhésus Tribuzi da produtora homenageada Vermelho
Profundo
20h – Os mortos (curta-metragem)

31 de outubro, sábado 
15h – O nó do diabo – Episódio 3
16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 1
18h – O desejo do morto (curta-metragem)
19h – Debate “O terror e o cinema brasileiro” com a cineasta Gabriela Amaral Almeida, o
cineasta Rodrigo Aragão, a crítica de cinema Flávia Guerra. Mediação do curador Carlos
Primati.
20h – A mata negra


01 de novembro, domingo
16h – O nó do diabo – Episódio 4
18h – Mais denso que o sangue (curta-metragem)
20h – Não tão longe (curta-metragem)


02 de novembro, segunda-feira
16h – O nó do diabo – Episódio 5
18h – Sem seu sangue (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)
19h – Live com o curador Carlos Primati e a diretora de “Sem seu sangue” Alice Furtado
20h – As núpcias de Drácula
03 de novembro, terça-feira
18h – A noite amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)
20h – Os jovens Baumann (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)


Semana Gabriela Amaral Almeida


04 de novembro, quarta-feira
18h – Christabel
19h – Live com a pesquisadora Laura Loguercio Cánepa e a diretora homenageada Gabriela
Amaral Almeida
20h – O animal cordial


05 de novembro, quinta-feira
18h – Uma primavera (curta-metragem)
20h – #ninfabebê

06 de novembro, sexta-feira
18h – Estátua! (curta-metragem)
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e o ator de “Quando eu era vivo” Antonio
Fagundes
20h – Quando eu era vivo

07 de novembro, sábado
14h – O segredo dos diamantes
15h – A mão que afaga (curta-metragem)
16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 2
18h – O caseiro
19h – Palestra com a cineasta Gabriela Amaral Almeida com o tema “Escrevendo histórias de
terror para o cinema”
20h – A sombra do pai

08 de novembro, domingo
16h – O animal cordial
18h – O clube dos canibais
20h – Condado macabro

09 de novembro, segunda-feira
18h – Quando eu era vivo
19h – Live com o curador Carlos Primati e o diretor de “Quando eu era vivo” e montador dos
curtas da homenageada, Marco Dutra
20h – Terminal Praia Grande

10 de novembro, terça-feira
18h – A sombra do pai
20h – Terra e luz

Semana Dennison Ramalho

11 de novembro, quarta-feira
18h – A capital dos mortos 2: Mundo morto
20h – Nocturnu (curta-metragem)
21h30 – Live com o crítico Marcelo Miranda e o cineasta homenageado Dennison Ramalho


12 de novembro, quinta-feira
16h – Canto dos ossos
18h – Amor só de mãe (curta-metragem)
20h – Quando o galo cantar pela terceira vez renegarás tua mãe

13 de novembro, sexta-feira
18h – O diabo mora aqui
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e a atriz de “Morto não fala” Bianca Comparato
20h – Morto não fala

14 de novembro, sábado
16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 3
18h – As núpcias de Drácula
19h – Debate “A atuação no cinema de terror” com a atriz Luciana Paes, a crítica de cinema
Cecília Barroso. Mediação do curador Breno Lira Gomes.
20h – Christabel

15 de novembro, domingo
16h – Ninjas (curta-metragem)
18h – Condado macabro
20h – Mal nosso
16 de novembro, segunda-feira
16h – A casa de Cecília
18h – O caseiro
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e a atriz e produtora de “Através da sombra”
Virginia Cavendish
20h – Através da sombra

17 de novembro, terça-feira
16h – Morto não fala
18h – Terra e luz
20h – A capital dos mortos 2: Mundo morto

Semana José Mojica Marins

18 de novembro, quarta-feira
18h – O clube dos canibais
20h – O saci (curta-metragem)
19 de novembro, quinta-feira
16h – A lasanha assassina (curta-metragem)
18h -#ninfabebê
20h – Mal nosso

20 de novembro, sexta-feira
18h – O segredo de Davi (Acessível: Legenda descritiva)
20h – Tirarei as medidas do seu caixão (curta-metragem)

21 de novembro, sábado
14h – O segredo dos diamantes
16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 4
18h – Os jovens Baumann
19h – Palestra com a pesquisadora e crítica de cinema Beatriz Saldanha com o tema “Diretoras
e o terror”
20h – A casa de Cecília

22 de novembro, domingo
16h – Através da sombra
18h – Coração das trevas (Coffin Joe’s Heart of Darkness – curta-metragem)
20h – Quando o galo cantar pela terceira vez renegarás tua mãe

23 de novembro, segunda-feira
18h – O cemitério das almas perdidas
19h – Live com o curador Carlos Primati e o diretor de “O cemitério das almas perdidas” e “A
mata negra”, Rodrigo Aragão
20h – A mata negra

× Curta Music Non Stop no Facebook