DJ Fail: derrapadas monstras na web e na vida real. Vem rir e chorar com a gente.

Jade Gola
Por Jade Gola

O DJ comanda a festa, a pista, o ambiente onde sua música ecoa e preenche o espaço. Então nada mais natural que, frente a uma falha técnica ou a um flop homérico na condução do som, o DJ queira morrer. É a famosa sambada, que em tempos de memes internéticos, geram vídeos que são absurdamente engraçados, alguns até angustiantes mesmo.

Rolou nessa última semana um novo meme, aparentemente brasileiro: a noiva chega para seu matriônio, braços dados com o paizão orgulhoso, e a marcha nupcial ambienta o caminho da felicidade da moça. Mas eis que a música vai pro fade out e, do nada, o que volta é um bate-cabelo houseiro bem pop e farofa. O DJ espertão esqueceu de ouvir o MP3 e colocou pra tocar um remix da marcha nupcial!

A cara da noiva é impagável, a brecada que ela dá, a cara de espanto da família, dos convidados… as câmeras em riste registrando tudo. FAIL! E risos…

“Quando você está responsável pelo cerimonial, não se pode errar a entrada da noiva. Tipo, soltar Linkin Park na hora que ela entra! A responsabilidade é imensa, as câmeras estão gravando…” – DJ MYRRHA, especialista em casórios, deu a real pra gente. 

No embalo desse flop engraçadíssimo, reunimos outros vídeos absurdos e curiosos de sambadas e afins, junto de grandes e talentosos DJs de hoje relembrando algumas de suas falhas ou turbulências durante os sets. Porque afinal, todo DJ já sambou!

Tiësto e a famosa cara de ‘WTF’ da sambada

mauNo final dos anos 80, surgiu uma vaga para trabalhar no club Malícia em São Paulo, ao lado do DJ residente Marquinhos MS. Naquela época, o candidato à vaga iniciava um estágio como iluminador e depois de alguns meses, dependendo do desempenho, poderia tocar apenas no começo da noite. A convite do próprio Marquinhos MS, consegui fazer o estágio, passei pelas primeiras etapas e finalmente chegou o dia da estréia. Lembro perfeitamente das minhas mãos tremendo, acho que nunca fiquei tão nervoso, até que ao final de uma mixagem, tirei por engano a agulha do disco que estava tocando, provocando um aterrorizante silêncio por alguns instantes. Depois de alguns segundos, coloquei novamente a agulha no disco que estava tocando e rezei para a proprietária da casa não ter percebido.
Entrei em pânico, quase chorei, mas depois de algumas semanas, consegui a vaga de dj residente … ufa!” – MAU MAU

Tira onda de malandrão, mas deixa a mesa no lugar, meu filho…

Mgramicos: fiz um desfile no Museu de Arte Sacra, aquele das freiras enclausuradas. A cabine ficava embaixo da janela delas, e eu tinha que abaixar o som assim que elas davam um sinal com umas lanterninhas de LED. Foi hilário. E sambada mesmo foi logo que comecei a tocar, o disco pulou e coloquei uma caixa de fósforo vazia (claro) em cima da agulha, foi mágico, eu pesei a agulha e ela parou de pular. E teve um casamento diurno na praia , o casal demorou tanto pra começar que não teve mais luz pra filmar. E eu lá, tocando e esperando, acabando com meu repertório! (risos)” – ANDREA GRAM

Não tem problema deixar os cabos desligados se a festa continuar bombando!

tessutoTeve um dia que eu estava tocando, não me lembro em qual festa. Já eram altas da manhã e eu estava de boa fazendo meu long set, quando sinto uma mordida na minha perna. Na hora fiquei estarrecido mas, quando olhei para baixo vi que era uma pessoa que eu conhecia. Ainda bem que não foi forte, né? Também teve uma Mamba Negra no Cine Marrocos que um cara subiu na mesa e começou a dançar. De repente ele tava fazendo um beijo grego com um outro cara e começou a pular os meus vinis. Tem o set online com as sambadas e tudo mais. Achei histórico e decidi postar” – PAULO TESSUTO

O cowbell do Richie Hawtin: conceitual ou abestado? 

12080306_1092737594071784_8313105589549625350_o (1)Aconteceu recentemente algo que me marcou. Eu fui convidada pra tocar no lab da Mixmag UK, fui tocar com vinis e a agulha começou pular pois a mesa balançava. Eu fiquei tãoooo nervosa, mas nervosa de um jeito que nunca fiquei na vida! Aí eu tirei a agulha do disco que tava tocando, botei a agulha de volta e queria me matar! Não sei como consegui terminar o set, foi o pior dia da minha vida. Eu achei que todo mundo tava falando mal de mim na Internet (risos), mas no fim nem estavam, eu fiquei inventando 1000 histórias na minha cabeça e isso atrapalhou meu set” – DJ ANNA (assista abaixo)

DJ Anna em: A SAMBADA SERÁ TELEVISIONADA!

magalRecentemente, no Zeitgeist em Curitiba. Um dos toca-discos estava com problemas no braço. Alguns trechos da música se repetia como se fosse um loop mal feito, como se estivesse pulando ….Tentei tocar com ele, mais não consegui. Aí desliguei o toca-discos com a música tocando e disse pra galera: “Pessoal vou começar de novo meu set”. Como eu sempre levo um pen drive, no case toquei com ele. A reação do público foi a melhor possível, pois eles viram o que estava acontecendo e perceberam que a culpa não era minha.
Hoje eu fico muito tranquilo e até brinco com o público quando acontece algo assim. Eu sou virginiano, era muito autocrítico e isso me fazia mal. Hoje não sou mais assim.” – MAGAL
Vai DJ, tira onda com o Bob Esponja que ele volta para aterrorizar seu set!
benjaUma vez, na primeira rave em que toquei na vida, no fim da década de 90, eu de cabelo verde e super nervoso (afinal era a minha PRIMEIRA RAVE! haha), um amigo meu que estava tocando na mesma festa resolveu tirar um sarro e mudou o pitch de um dos CDJs de uma vez só, durante minha mixagem. Eu cortei logo a música que estava sendo mixada e passei pra outra. Sambou muito, mas não durou tanto. Puta brincadeira de mal gosto, né? rs
Lembro de uma das músicas – era Cassius. Não lembro se “Feeling for You” ou “Cassius 1999 (remix)“.Olha, eu sinto vergonha, devo ficar bem vermelho nas sambadas! hahaha! Se ficar muito difícil de ajeitar na hora, eu dou uma abaixada no volume da que está entrando e tento voltar com ela um pouco depois, mais certinha. Por outro lado, em tempos de sync, uma pequena sambadinha até tem lá seu charme!” – BENJAMIN FERREIRA
DJ matando o drop da galera com romance 80s
djbanFreddie Mercury morreu em 1991. Estava eu sendo o “MC” de um clube social na Penha (SP), quando me é solicitado pra falar da morte dele, e assim, tocaríamos um dos clássicos do Queen – ‘We Will Rock You’ em “homenagem”… Mas no auge da minha tentativa em fazer algo sério, troquei o homenagem por: “Como todos sabem, perdermos Freddie Mercury, um ícone, um astro, e em COMEMORAÇÃO a sua morte vamos tocar…”. Só tinham 500 pessoas, mas a vaia parecia de um estádio com 50.000 pessoas” – DJ BAN

Deadmau5 em: ¯\_(ツ)_/¯

eliA pior gafe que eu cometi foi quando estava abrindo para o James Zabiela em São Paulo. Eu entregando a pista lotada, ele entrando com uma introdução longa e super atmosférica – quando eu resolvi começar a desconectar minhas coisas para não interrompê-lo mais tarde. Lógico que eu puxei o cabo errado, o som parou, e o James desesperado tentando ligar tudo de novo. Até hoje, morro de vergonha quando lembro disso.

Teve um tombo homérico também. Estava encerrando meu set na Kaballah Festival, palco da Cocoon, uma baita responsa. Na emoção, não vi os monitores no chão, e caí de cara no chão. E aos pés do Markus Schulz que estava começando a tocar.” – ELI IWASA

 

Uma série de eventos catastróficos nessa rave indoor juvenil

× Curta Music Non Stop no Facebook