bob marley e violão

Dia do Reggae! 5 discos indispensáveis para você passar o dia na positividade, indicados por Pigo Brayner, da Raízes Rasta

Por Jota Wagner

Para celebrar o Dia Nacional do Reggae,pedimos para o vocalista Pigo Brayner, da banda Raízes Rasta, indicar 5 discos indispensáveis para entender a música (e passar bem o dia)

Quando o pessoal da banda Toots and the Maytals colocou nas lojas jamaicanas o single Do The Reggay em 1968, jamais imaginaram que estariam dando a picada inicial de uma febre que tomaria a conta do planeta pelas décadas restantes, não apenas como um gênero musical mas também como um estilo de vida.

Originalmente, o termo foi usado para denominar uma espécie de dance music jamaicana que era bastante popular na ilha no final da década de 60. Se para ganhar o mundo a música precisava de um embaixador, rapidamente Bob Marley agarrou a bandeira e percorreu o mundo se tornando um dos mais populares trovadores do planeta.

Dia 11 de maio é o Dia Nacional do Reggae e para celebrar convidamos Pigo Brayner, vocalista de uma das mais importantes bandas de reggae brasileira, a Raízes Rasta, formada em 1999.  Nosso convidado preparou uma lista finérrima e ainda incluiu um representante brasileiro também porque o país é responsável por um celeiro gigantesco de produções do gênero.

Pigo Brayner, do Raízes Rasta

Pigo Brayner – foto: divulgação

“Primeiramente quero dizer que escolher apenas cinco álbuns de reggae é uma tarefa quase que impossível…rs… Mas vai aí um pedacinho do meu gosto pela música reggae”, anuncia Pigo. Divirta-se.

 1. Bob Marley – Survival

Bob Marley com violão

Bob Marley – foto: divulgação

Eu iniciaria esse top 5 com o álbum Survival de Bob Marley. Apesar de ter sido lançado no mesmo ano de meu nascimento (1979), em meados de 1995 comecei a ter uma proximidade mais íntima com a música reggae e esse disco marcou muito essa fase da minha vida na adolescência. O álbum é emblemático justamente pelo título, que na tradução é “sobrevivência” e principalmente pelas músicas, como por exemplo a música Africa Unite, onde Bob declama a paz e a união entre os países africanos, e também a faixa Zimbabwe, com um fato marcante onde o lançamento da música aconteceu para milhares de pessoas durante a comemoração da independência do país em 1980.

2. Peter Tosh – Equal Rights

Peter Tosh no palco

Peter Tosh – foto: reprodução Youtube

Colocaria o álbum Equal Rights de Peter Tosh como um disco que vai na mesma pegada de Bob Marley com relação às letras, sempre com mensagens pela luta por direitos civis, manipulação religiosa e política. Além da minha admiração pelo timbre e a potência vocal de Peter Tosh, destacaria a faixa Downpressor Man  como uma das melhores músicas do disco.

3. Morgan Heritage – Three In One

Morgan Heritage na selva

Morgan Heritage – foto: divulgação / William Richard

Uma banda que acho sensacional é a Morgan Heritage. Com uma sonoridade contemporânea onde aproveitam muito bem e com muito bom gosto os samples e tudo que o advento da tecnologia trouxe a favor da música. O álbum Three in One, de 2003 reflete bem esse acompanhamento da banda e a música que destacaria é The Truth, cantada pela bela voz de Roy “Gramps” Morgan, irmão do vocalista principal da banda Peter “Peetah” Morgan. Em 2017 fomos assistir esse show em São Bernardo do Campo/SP e que foi simplesmente fantástico.

4. Djambi – Keep This Feeling

Djambi

Djambi – foto: divulgação

Um disco fabuloso é o Keep This Feeling da banda paranaense Djambi. O disco foi gravado na Suíça em 1999, mesmo ano de criação da minha banda Raízes Rasta. Eles rodaram toda a Europa com mais de trinta shows e levando o nome do nosso reggae brasil. Acho que um ponto que os tornam diferenciados é um certo suingue único e a sintonia muito fina entre os irmãos Maurício Nassar e Marcelo Nassar (bateria e baixo) que te leva e lhe faz dançar sem você querer. Destacaria todas as músicas do disco, sem exceção, gravadas em sua maioria pela voz de Rodolpho Grani.

Ziggy Marley – Ziggy Marley

Ziggy Marley sorrindo

Ziggy Marley – foto: divulgação

E para finalizar coloco o álbum intitulado Ziggy Marley do próprio Ziggy Marley gravado em 2016 no estúdio Tuff Gong na Jamaica. Lembro-me de quando montamos a Produtora RZR, eu e o meu sócio e compadre Rafael Ferreira ouvíamos o disco o dia todo no modo repeat enquanto trabalhávamos. Destacaria a faixa Amen como uma verdadeira prece para um mundo melhor.

 

 

Jota Wagner

Jota Wagner escreve, discoteca e faz festas no Brasil e Europa desde o começo da década de 90. Atualmente é editor chefe do Music Non Stop e produtor cultural na Agência 55. Contribuiu, usando os ouvidos, os pés ou as mãos, com a aurora da música eletrônica brasileira.

× Curta Music Non Stop no Facebook