Da área comercial de grandes empresas a parceiro do Dekmantel, Caio Taborda, da Gop Tun, deixou a carreira corporativa para ser DJ

Claudia Assef
Por Claudia Assef

Desde 2012, o paulistano Caio Taborda se uniu aos amigos Bruno Protti (aka TYV), Fernando Nascii (aka Nascii), Gui Scott e Vitor Kurc para empreender uma missão juntos: transcender o ambiente das pistas e transformar a música em estilo de vida – para todos os estilos de vida, do coxinha ao club kid, sem julgamentos. Nascia assim o crew de DJs e coletivo de festas Gop Tun.

Depois de quatro anos explorando espaços diferentes de São Paulo fazendo festas misturando seus residentes a nomes do quilate de Mano Le Tough, The Revenge, Tim Sweeney, Tiger & Woods, Kornél Kovács, Fatima Yamaha, Crazy P, Joakim, Floating Points, Four Tet e muitos outros, o Gop Tun dividiu a responsabilidade de realizar o festival holandês Dekmantel em São Paulo, na primeira incursão de grande porte do label longe de casa.

A união do Gop Tun com o Dekmantel deu no que deu: um festival maravilhoso, reunindo o creme do techno mundial com atrações regadas a muita brasilidade. Se você estava fora de órbita em fevereiro e não soube do festival, é só ler como foi clicando aqui.

Egresso da área comercial de grandes empresas, Caio Taborda foi levando uma vida dupla até que em 2015 resolveu largar a pastinha, focar 100% na música e virar Caio T. Àquela altura as festas Gop Tun já tinham entrado no calendário de muito fã de música de pista e, como a gente ficou sabendo mais tarde, os planos (Dekmantel etc) eram bem ambiciosos para o futuro.

Por essas e por outras, fomos bater um papo com Caio, figura mais que perfeita para integrar a nossa coluna semanal #MillerMusic. Mas antes bota pra tocar este set que ele gravou como esquenta para o Dekmantel. Fino.
Caio T. Dekmantel São Paulo Podcast

Music Non Stop – Como rolou a ideia de juntar amigos e criar o coletivo Gop Tun?

Caio Taborda – O Gop Tun nasceu como um grupo secreto para troca de músicas e informação no Facebook. Depois de um tempo resolvemos abrir nossa fanpage para compartilhar aquele conteúdo. Naquela época tocávamos em bares e festas pela cidade, resolvemos então fazer nossa primeira festa e não paramos até agora.

Music Non Stop – O que você fazia antes de ser DJ?

Caio Taborda – Toco há mais de 10 anos, e sempre tive uma carreira paralela trabalhando na área comercial de grandes empresas. Em Dezembro de 2015 resolvi abandonar e focar exclusivamente no Gop Tun.

Lembranças de uma época de camisa social

Music Non Stop – Quando foi a primeira vez que você pensou que ia trabalhar com música, quantos anos tinha?

Caio Taborda – Para mim sempre foi um sonho poder trabalhar com música, porém, um sonho distante, nunca imaginei que poderia ser minha ocupação principal. A ficha caiu em meados de 2015 quando decidi abandonar a carreira corporativa para focar no Gop Tun e na carreira de DJ.

Mini Caio, desde cedo pronto pro after

Music Non Stop – Na sua carreira de DJ quando você pensou: “nossa, deu certo” pela primeira vez?

Caio Taborda – Creio que no início da Gop Tun, entre 2012 e 2013, quando começamos nossas festas. Foi quando pela primeira vez percebi que aquilo poderia ser minha ocupação principal. Mas com certeza acabou se concretizando ano passado, quando fechamos nossa primeira tour internacional.

Music Non Stop – Cite três dos artistas (DJs ou não) que mais influenciaram a sua carreira?

Caio TabordaKurt Cobain, Prins Thomas e Larry Levan.

Music Non Stop – Como rolou o namoro e depois o acerto de você coproduzirem o Dekmantel no Brasil?

Caio Taborda – Acho que esta foi uma das perguntas que mais respondemos nos últimos tempos rs. Visitei o Dekmantel em 2015 e conheci um dos sócios, o Casper Tielrooij. Trocamos alguns e-mails e resolvemos promover um showcase por aqui. A festa foi tão bacana que eles nos convidaram para juntos fazermos a primeira edição do festival fora da Holanda.

Music Non Stop – Qual foi a impressão dos holandeses sobre o desenrolar do festival aqui?

Caio Taborda – Eles ficaram muito impressionados com a diversidade e abertura do público. Ficaram bem contentes também com o nível da produção e organização que segundo eles nada deve para o que fazem em Amsterdam.

Dekmantel: holandeses ficaram impressionados com o que rolou em São Paulo

Music Non Stop – Qual é o seu maior sonho na carreira, daqueles que depois que você conseguir poderá pendurar os fones sem maiores dramas?

Caio Taborda – Sinceramente eu não tenho um sonho tão oficial assim. Cada dia que passa novos sonhos surgem e sonhos velhos se vão. Esse dinamismo nos objetivos é o que me motiva.

OUTRAS COLUNAS

 

× Curta Music Non Stop no Facebook