Conheça o Amapiano, música dançante que é febre na África e já começa a se espalhar pelo mundo

Bruna Moura
Por Bruna Moura

Uma nova dance music é sucesso popular massivo na Africa do Sul e já viaja para outros países do continente e também da Europa. O Amapiano – o piano para o quadril – tem atmosfera deep e os dois pés fincados na house music.

A África do Sul é conhecida o bastante por sua biodiversidade, multiplicidade de culturas e idiomas.

Musicalmente não é diferente, a variedade sonora originalmente sul-africana contagia o mundo todo à décadas e na dance music suas marcas estão registradas desde os anos 90. Assim, não seria uma surpresa escutar música eletrônica durante um passeio de táxi por Pretória e embora muitos declarem diferentes origens, possivelmente foi desta maneira que o Amapiano rodou por toda a cidade. Popular entre os motoristas da capital, o gênero se espalhou rapidamente por meio de compartilhamentos via o aplicativo de mensagens Whatsapp e tem espaço garantido nos primeiros lugares do top 100 da Apple Music entre as músicas mais tocadas na África do Sul.

A dupla JazziDisciples

 

Sob a influência dos antecessores estilos da House Music sul-africana, o Amapiano herda as linhas de baixo e harmonia do Kwaito, baterias e percussões do Bacardi e claro, faz jus ao nome considerando o piano como o instrumento predominante. “Piano para o quadril” como é apelidado, envolve mais do que o corpo, teclados e synths jazzy trazem o tom do Deep House tornando-o extremamente envolvente e cheio de alma, fazendo desta a sua característica original. O duo JazziDisciples formado pelos DJs JazziQ e Josiah Makoela, exemplificam muito bem essa fusão com o Jazz, assim como DJ Stokie que descreve sua música como “quieta e madura”. Isso explica o motivo da febre não ser tratada apenas como uma onda passageira e local, e sim um universo inteiro que se estende por toda cultura de música. Manifestada no comportamento, moda e dança com muita sensualidade envolvida, é nesse ritmo naturalmente quente, contínuo e atemporal que o Amapiano se instalou, transmitindo a emoção de liberdade de toda uma sociedade que à menos de três décadas se livrou do apartheid.

Pista de dança na Africa do Sul

 

Ainda que os primeiros sons tenham surgido em 2012, foi nos últimos dois anos que passou a ter a presença massiva em todas as plataformas digitais e é hoje o movimento de música eletrônica que mais cresce em todo continente africano. Isso fez com que uma mutação natural ocorresse ao cair nas graças do mainstream e as músicas que antes eram lideradas por seu conteúdo lírico, produzidas por pianistas e DJs de hip-hop, atualmente sofrem também com a forte influência da dance music pop como a vertente Gqom, entrado de vez no mercado comercial. Artistas como Kabza De Small, Vigro Deep e Kwiish SA transformam músicas populares em grandes hits, o que cria um debate recorrente sobre essa ambigüidade em relação às suas origens e posicionamento mas evidencia o dinamismo desta indústria musical.

 

Rafael Moraes, músico, DJ e produtor paulistano, tem as influências afro-latinas estampadas em seu trabalho e afirmou durante um bate-papo que o movimento é gigante e que se alimentou de diversas fontes. “Há 15 anos atrás já era possível escutar dance music nas rádios de Joanesburgo, sendo assim, é importante compreender o quanto os africanos são orgulhosos do impacto da afro house no mundo todo. Já as discussões sobre o Amapiano se tornam controversas por se tratar de um movimento de galera mais jovem e muitas vezes mais comercial que se propagou rapidamente pelas redes sociais com vídeos de jovens dançando.”

 

Despertando amor e ódio, o público continua em expansão e não se apega às rixas que envolvem artistas na maioria das vezes brancos e de outras nacionalidades, ou melhor, quem não tem nada a ver com isso. Em meio a esse grande e velho debate entre a música underground e o pop, o Amapiano é o som africano mais representativo da atualidade em todos os aspectos culturais diante da sua diversidade de composições, assumindo o controle das festas e rádios, garantindo assim o apoio de grandes artistas como Black Coffee, Kid Fonque e Zakes Bantwiki, que defendem a liberdade de expressão que o estilo puramente sul-africano carrega, reivindicando respeito, principalmente por erguer a bandeira do país pelo globo em forma de um movimento único e genuíno.

Separamos cinco faixas para você entender o Amapiano! Divirta-se.

MFR Souls – Love You Tonight ft. DJ Maphorisa, Sha Sha, Kabza De Small

Kelvin Momo ft Kabza de Small Once Again Main Mix

DeMthuda – 1234 (Main Mix)

De Mthuda- Rock The Nation ·

Prince Kaybee – Tlogela Piano

× Curta Music Non Stop no Facebook