Björk Digital. Evento traz entrevistas com os principais colaboradores da diva, lives com artistas brasileiros e muito mais

Avatar
Por Gustavo Kock

Nos dias 17 e 18 de outubro, o Centro Cultural Banco do Brasil vai transmitir uma programação inédita de conversas ao vivo com alguns dos principais colaboradores estrangeiros de Björk e participação de artistas e personalidades brasileiras como Linn da Quebrada, Alma Negrot, Aisha Mbikila e Zeca Camargo

“As pessoas costumam descrever Björk e seu trabalho como vindos de outro mundo, mas ela é uma artista muito pé no chão e humana no sentido mais radical, empática e compassiva”, conta Andrew Thomas Huang com exclusividade ao Music Non Stop. O cineasta e artista visual é colaborador criativo da artista islandesa e participa neste fim de semana de uma série de conversas virtuais entorno da exposição Björk Digital, que chegou ao Brasil no ano passado.

Nos dias 17 e 18 de outubro, o Centro Cultural Banco do Brasil vai transmitir uma programação inédita de conversas ao vivo com alguns dos principais colaboradores estrangeiros de Björk e participação de artistas e personalidades brasileiras como Linn da Quebrada, Alma Negrot, Aisha Mbikila e Zeca Camargo – o jornalista global vai entrevistar Huang. O elenco internacional de convidados conta ainda com James Merry, artista visual e diretor criativo de Björk, o multifacetado cineasta e músico japonês Jessie Kanda, e o fotógrafo Santigo Felipe, responsável pelas imagens mais incríveis das apresentações ao vivo da artista islandesa. As lives serão transmitidas a partir das 18 horas de cada dia na Twitch, com apresentação da atriz e apresentadora Bárbara Paz.

Andrew Huang

Andrew Thomas Huang ganhou notoriedade através de colaborações com gente como FKA Twigs e Thom Yorke, além da própria Björk. Diretamente de Los Angeles, ele vai comentar seu extenso trabalho de desenvolvimento de experiências para a exposição internacional Björk Digital. Em seguida, o jornalista musical e apresentador Zeca Camargo, fã assumido de cantora, se juntará a Andrew para uma empolgante conversa sobre seus últimos projetos, incluindo seu primeiro longa-metragem Tiger Girl, em desenvolvimento, com o apoio do Sundance Institute.

Ainda sobre sua relação com Björk, Huang conta que “ela é verdadeiramente amorosa com as pessoas ao seu redor e sabe quando ser boba ou quando entrar em uma conversa profunda”. E vai além: “ela é a pessoa mais complexa e admirável que já conheci na minha vida!”. Entre suas principais colaborações com a islandesa estão os videoclipes “Stonemilk” (2015) e “The Gate” (2017).

Contudo, o cineasta sabe reconhecer o trabalho de outros profissionais e, quando perguntando sobre quais são seus videoclipes favoritos de Björk, ele vai fundo. “Isso é difícil. Historicamente, meus favoritos são ‘All is Full of Love’ de Chris Cunningham, ‘Unravel’ de Lynn Fox, ‘Wanderlust’ de Encyclopedia Pictura e ‘Cocoon’ de Eiko Ishioka, porque são todos visualmente impressionantes, emocionalmente intensos e poéticos. Mas o que mais me assombra é ‘Pagan Poetry’ de Nick Knight, porque ela está cantando sobre o amor de sua vida e você sabe que ela não está fingindo. Seu amor é nu e palpável – ela está literalmente perfurando sua pele com isso – e é uma das performances mais poderosas que eu já vi capturada por uma câmera.”

O Music Non Stop fez ainda três perguntas rápidas para entender mais sobre o universo criativo de Andrew Thomas Huang, confira: 

MNS: Quais eram seus filmes favoritos na adolescência?

ATH: “Labirinto – A Magia do Tempo” (Jim Henson, 1986), “Batman: O Retorno” (Tim Burton, 1992), e “O Quinto Elemento” (Luc Besson, 1997).

MNS: Você costuma trabalhar com noções de pós-humanismo em sua estética, confundindo os limites entre o masculino e o feminino. O que é identidade para você?

ATH: Hmm, acho que a identidade é um ponto infinito – algo que deve ser aprendido e desaprendido repetidamente ao longo da vida.

MNS: Como você costuma superar um bloqueio criativo?

ATH: Paro de trabalhar e entro no meu corpo ou na natureza.

 

Mais Björk, mais digital

Além das conversas ao vivo, uma série de máscaras em realidade aumentada, iguais às que a artista usa, foram desenvolvidas e disponibilizadas no Instagram da Björk em todo o mundo. A mais recente leva o nome de “Utopia Silicione” e foi criada por James Marry para celebrar a passagem da exposição por Belo Horizonte – até então suspensa por conta da pandemia. A máscara digital é inspirada por peças reais, esculpidas e pintadas a mão, que emulam orquídeas e a anatomia feminina e foram utilizadas pela artista em seu disco “Utopia”.

Veja no Instagram

 

Ainda neste fim de semana, apresentações musicais vão encerrar as lives e garantir o after. No sábado, o evento apresenta VJ set de Doon Kanda, nome artístico de Jesse Kanda. No dia seguinte, quem se apresenta é o músico e performer L’Homme Statue, persona do imigrante afro-francês Loïc Koutana. Confira a programação completa das lives deste fim de semana:

Sábado, 17 de outubro, a partir das 18h

James Merry e Alma Negrot – De seu pequeno estúdio na Islândia, o artista visual britânico James Merry vais nos contar sobre seu processo criativo e histórias de seu trabalho com Björk, com quem tem colaborado desde 2009.  Como seu co-diretor criativo em todos os seus visuais, Merry também criou máscaras e headpieces para inúmeras performances ao vivo e em vídeo. Além de seu trabalho com Bjork, Merry é conhecido principalmente por seus bordados à mão (ele já colaborou com V&A, Gucci e Opening Ceremony, entre outras). Recentemente, ele criou a impressionante máscara de ouro que Tilda Swinton usou no Festival de Cinema de Veneza deste ano. Após sua palestra, James será acompanhado pelo performer e diretor criativo Alma Negrot para discutir seu amor mútuo por máscaras, arte e moda.

Jesse Kanda e Linn da Quebrada – Antes de seu set exclusivo Doon Kanda Hybrid DJ + Live + Video, o artista visual, cineasta e músico de Tóquio Jesse Kanda se juntará à rainha do baile funk e uma das ativistas LGBTQI + mais reconhecidas do Brasil, Linn da Quebrada. Ambos são criativos multifacetados que trabalham com música e filme. Jesse tem uma longa lista de parceiros criativos, incluindo Björk, Arca, FKA Twigs e Kanye West, bem como seu recente álbum de estreia Labyrinth com seu nome artístico Doon Kanda. O álbum audiovisual de estreia de Linn, Pajubá, foi considerado uma peça trans coligada à Lemonade de Beyoncé e foi o tema do filme Bixa Travesti, que ganhou o prêmio de melhor documentário no Festival de Cinema de Berlim.

Domingo, 18 de outubro, a partir das 18h

Andrew Thomas Huang e Zeca Camargo – O cineasta e artista visual Andrew Thomas Huang, conhecido por suas colaborações com Björk, FKA Twigs e Thom Yorke, fala diretamente de Los Angeles sobre seu extenso trabalho de desenvolvimento de experiências para a exposição itinerante e imersiva de realidade virtual Björk Digital. Em seguida, o renomado jornalista musical e apresentador de TV Zeca Camargo, repórter da Folha de S. Paulo, ex-VJ da MTV Brasil e apresentador mais popular do Fantástico da Globo, se juntará a Andrew para uma empolgante conversa sobre seus últimos projetos, incluindo seu primeiro longa-metragem Tiger Girl, em desenvolvimento, com o apoio do Sundance Institute.

Santiago Felipe e Aisha Mbikila – O fotógrafo e diretor autodidata Santiago Felipe se juntará a nós diretamente do Brooklyn, Nova York, onde atua como um solicitado fotógrafo de celebridades para a Getty Images. Ele vai compartilhar suas experiências (e fotos impressionantes) como fotógrafo oficial da turnê de Björk, bem como seu trabalho com os artistas SIA, Billy Porter e, por fim, como consagrado cronista da vida noturna underground e da cena drag de Nova York. Em seguida, Santiago e a modelo, atriz e diretora Aisha Mbikila vão discutir seus respectivos trabalhos criativos e a transformação social através da arte.

 

(Colaboram nesta matéria Ali Prando)

× Curta Music Non Stop no Facebook